Parauapebas: Terra de Muro Baixo


Quem julga as pessoas pelas aparências e patrulhamento de suas criticas e ideias perde um grande chance de ajudar a construir uma cidade mais agradável de se viver , humana e solidária , respeitando as diversidades de pensamento e opiniões.

Vivemos um mundo de relativa aparências onde por aqui temos a maneira de expor nossas opiniões sem dar a devida dimensão aos atos e fatos , no qual a hipocrisia externada de tudo e de todos é super valorizada , maximinizada esforçadamente .

Corremos atrás de noticias , fatos e dados muito proximos da ficção e do exageros , são fachadas suntuosas e excitantes , fotos virtuais irretocáveis e perfeitas.

Vivemos numa sociedade onde temos a sensação de estarmos sempre começando e no improviso.

Tentamos nos aproximar de pessoas de destaques , para obtermos nosso lugar ao sol na terra de murro baixo onde o silêncio mercenário imperam quando convém os ditos formadores de opinião .

Queremos uma sociedade justa e solidária porem poucos são aqueles que realmente preocupam em construir este propósito com atitudes e comportamentos coletivo , os programas sociais tem pouca amplitude e participação são direccionados conforme interesses pessoais e ajudar a quem mais necessita fazendo chegar ate eles é um caminho sinuoso e complicado .

É cada um para si e Deus na todos

A grande maioria das pessoas mais necessitadas querem apenas oportunidades de emprego , uma casa para morar onde podem garantir moradia digna para suas famílias .

Outros querem casa vistosa e jardins ornamentais.

Um carro novinho na garagem, móveis de revista, salários, piscina no quintal.

Queremos quadros, vasos, porta-retratos, toalhas, mesas, camas e panelas.

É importante impressionar quem olha e quem entra em nossa casa.

Enquanto isso, esquecemo-nos de transformá-la em um lar com calor humano, interações sinceras, amor em profusão, verdades compartilhadas.

Outros querem passar uns dias em hotel na praia , com ar condicionado espalhado por todos os recintos, flores trocadas diariamente, atendimento VIP, piscinas de todo tipo, refeições de banquete.

Querem cenários fantásticos, para rechearmos nossas redes sociais de imagens que denotem o desfrute de uma vida bem sucedida.

No entanto, permanecem isolados dentro deles mesmos, confinados ao wifi dos celulares, mecanicamente transitando pelo mundo imaginário que criam , sem estreitar os laços ao menos com quem está no mesmo quarto .

Uns continuam
ansiando pelo carro novo, mesmo que às custas de boletos intermináveis para pagar , para poder chegar aos lugares impressionando, provocando inveja, atraindo as atenções para o que podem e dizem que irão comprar.

Outros continuam
ansiando pelo celular de última geração, pelas telas de sessenta polegadas para ver a copa , os últimos lançamentos de televisão , pela máquina europeia de café expresso pelo óculos escuros de grife famosa .

O conforto material logicamente é importante, para que possamos descansar com qualidade e oferecer uma vida digna aos nossos familiares.

Da mesma forma, nossas conquistas nos tornam mais felizes e realizados como pessoa.

No entanto, é necessário que também cultivemos nossas relações com as pessoas que nos rodeiam, alimentando os sentimentos e os valores éticos que devem nortear nossas andanças e a troca de energia com gente que vale a pena, com quem ri e chora junto de nós com sinceridade sem querer bancar o esperto e usar as pessoas .

Caso contrário, estaremos sozinhos e enfraquecidos nos momentos de dificuldade e tempestade, em que nada além do respeito, solidariedade e do amor ao próximo é capaz de nos resgatar.

Nao tem patrulha e dinheiro que compra a dignidade das pessoas

E, então, nada nem ninguém nos livrará de nossos críticos e dos patrulhadores de patrão que defendem sua sobrevivência custe o que custar .

COMENTAR COM FACEBOOK