Vale tem produção recorde de minério de ferro em 2015

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

A Vale produziu 345,87 milhões de toneladas no ano passado, um aumento de 4,3% na comparação com 2014. Esse volume, que representa um novo recorde, inclui minério comprado de terceiros e a produção atribuível à Samarco. A mineradora brasileira segue como maior produtora do mundo, superando a Rio Tinto, que produziu 327,6 milhões de toneladas de minério em 2015.

O volume inclui a compra de minério de ferro de terceiros e exclui a produção da Samarco (joint venture com a BHP Billiton). Neste último caso, a Vale tem direito sobre 50% do que é produzido pela companhia.

Com o rompimento da barragem de Mariana (MG) em novembro passado, a Samarco produziu 3,5% menos em 2015. Foram 12,7 milhões de toneladas produzidas (considerando a parcela da Vale), informou o relatório da Vale.

Mesmo somando-se o desempenho da Samarco -cálculo que a mineradora não costuma adotar no relatório de produção-, o resultado teria sido de crescimento da produção da Vale em 2015.

Isoladamente no quarto trimestre, o fraco resultado da Samarco é o que mais chama atenção. Houve queda de 59,3% na produção ante igual período de 2014. Isso porque a empresa parou com o rompimento da barragem.

Segundo a Vale, o acidente acabou afetando sua própria produção de minério em Mariana. O volume produzido foi 34,2% menor no quarto trimestre de 2015 frente ao mesmo período do ano anterior.

Apesar disso, a produção de minério de ferro cresceu 2,9% no quatro trimestre, para 85,4 milhões de toneladas. A empresa buscou compensar a perda em outras minas.

“Ações mitigatórias foram imediatamente implementadas para melhorar a performance em outras operações, permitindo à Vale atingir suas metas planejadas de produção para o quatro trimestre”, informou a Vale no relatório.

Preços 

O aumento da produção ocorre num momento em que os preços do minério de ferro estão em baixa no mercado internacional, resultado do excesso de oferta do produto e desaceleração da economia chinesa.

Para enfrentar a crise, a Vale tem focado sua produção em minas mais rentáveis, como a de Carajás, no Pará. A principal mina da companhia produziu 8,3% a mais. Foram 129,5 milhões de toneladas, um recorde.

Em Carajás, o teor médio produto é de 65,2% de minério de ferro. É um minério, portanto, de maior qualidade.

Por outro lado, as minas consideradas menos rentáveis seguem em declínio de produção. É o caso de Corumbá, em Minas Gerais, com queda de 25% na produção no ano passado, para 2,8 milhões de toneladas.

Outros produtos 

Além do minério de ferro, a Vale conseguiu bater recorde de produção em atividades como níquel (291 mil toneladas produzidas), cobre (423 mil toneladas) e ouro (420 mil onças), informou a companhia em relatório.

 

 

 



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas