A Vale aprovou, junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) do Estado do Pará, o primeiro projeto de rede integrada e regional de monitoramento da qualidade das águas superficiais da Vale e do Brasil. O projeto foi desenvolvido para a Unidade Operacional Onça Puma, localizada nas bacias hidrográficas dos rios Itacaiúnas e Xingu.

As redes trazem grandes avanços na gestão dos recursos hídricos. As principais vantagens são a sistematização dos planos de monitoramento das operações; a facilitação do licenciamento ambiental; o ganho de conhecimento sobre a qualidade das águas superficiais nas bacias hidrográficas monitoradas; e a consequente redução de custos, pela otimização do esforço de monitoramento. As informações geradas pelas redes são úteis não apenas para a Vale, mas também para o poder público e sociedade.

O projeto contribui ainda para a construção de uma rede de monitoramento da qualidade das águas no Estado do Pará, iniciando-se pelas bacias dos rios Itacaiúnas e Xingu. Segundo o Gerente de Suporte as Operações Níquel, Sérgio Benedetti, isso “está alinhado aos objetivos do Programa de Estímulo à Divulgação de Dados de Qualidade de Água (QUALIÁGUA), uma iniciativa da Agencia Nacional de Águas (ANA)”.