Planos de saúde e hospitais devem aumentar número de leitos de UTI em Parauapebas

MPPA recomenda também que planos e hospitais adquiram novos respiradores para usuários e EPIs para seus funcionário
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Os hospitais particulares e empresas de planos de saúde privados de Parauapebas devem ampliar o número de leitos normais e de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Essa foi a recomendação do Ministério Público do Estado do Pará. No documento, assinado neste domingo (3) pela promotora de Justiça Aline Cunha da Silva, os hospitais são orientados também à adquirir novos aparelhos respiradores e Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para seu funcionários. As empresas têm 5 dias para informar sobre as medidas adotadas.

Entre as empresas que receberam a recomendação estão a Unimed Sul do Pará, Hapvida, Bradesco Saúde e os hospitais São Sebastião, Santa Teresinha e Yutaka Takeda. Os hospitais devem garantir o atendimento aos seus clientes, ampliar o número de leitos e adquirir respiradores acoplados aos novos leitos. As direções desses hospitais devem comprar também máscaras, luvas, aventais, óculos de proteção, gorros e outros EPI para seus profissionais de saúde, agentes de segurança e de limpeza.

A promotora explica que a ampliação na capacidade de atendimento dos hospitais é uma medida urgente, pois o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus aumenta rapidamente. Só na cidade de Parauapebas, já existem 200 pessoas infectadas com o novo vírus, além de 13 óbitos pela covid-19. Se nada for feito, logo os hospitais não serão capazes de atender a demanda de pacientes.

 

Deixe uma resposta

Leia mais