Estado divulga avanços na exportação de carne bovina no Pará

O governador do Pará, Helder Barbalho, receberá nesta quinta-feira (12), no Palácio do Governo, em Belém, representantes do Frigorífico Rio Maria, instalado no município de Rio Maria, no sul do Estado; Master Boi Ltda., de São Geraldo do Araguaia; Frigol, em Água Azul do Norte (no sudeste), e Mercúrio Alimentos, em Castanhal (nordeste), para um encontro que discutirá os avanços no setor de exportação de carne bovina do Pará.

Também participarão da reunião o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Iran Lima; o secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Hugo Suenaga, e o superintendente do Sebrae-PA, Rubens Magno.

O governo e os produtores de carne bovina do Pará comemoram novas perspectivas para o setor depois de uma vitória no mercado internacional: quatro frigoríficos paraenses receberam habilitação para exportar para o mercado chinês. O anúncio foi feito na última terça-feira (10), pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

No dia 10 de abril, em um encontro com a ministra da agricultura, Tereza Cristina, o chefe do Executivo estadual apresentou a demanda do setor produtivo agropecuário paraense. Um dia após essa reunião, o governador decretou a criação de um Grupo de Trabalho (GT), para a realização de estudos e ações destinados ao desenvolvimento da agropecuária paraense.

Veja também:  Pará é o estado com mais pessoas vivendo sem energia elétrica na Amazônia Legal, aponta pesquisa

O GT é composto pelas secretarias estaduais de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), de Ciência e Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), da Fazenda (Sefa) e de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), além da Procuradoria-Geral do Estado, Iterpa, Adepará e entidades do setor, como Faepa, Acripará, Unierc e Sindicarne.

Dados da Sedap mostram que os quatro frigoríficos representam quase 2 mil empregos diretos e 6 mil indiretos. A comercialização de carne no mercado internacional mantém o setor e, consequentemente, o mercado interno e os empregos gerados pela atividade.

Só a Indústria Mercúrio Ltda. gera, atualmente, 522 empregos diretos e mais de 1,5 mil indiretos. Isso com apenas 20% da produção da empresa para o mercado internacional (geralmente, o Oriente médio). Agora, a exportação do frigorífico pode chegar a 40%.

No Pará, existem 38 indústrias frigoríficas, e 16 delas passam por inspeção sanitária estadual. Desde 2011, a maioria aguardava renovação da LO (Licenciamento Operacional), o que dificultava o crescimento das empresas e ameaçava a geração de empregos no setor. O governo atendeu a essa demanda para a liberação de licenciamentos operacionais que estavam pendentes.

Sugestão de entrevistados:

– Helder Barbalho, governador do Pará
– Representantes de frigoríficos
– Iran Lima, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia
– Hugo Suenaga, secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca
– Rubens Magno, superintendente do Sebrae-PA

Veja também:  Allen Rechene propõe investimentos sustentáveis na Capital do Pará
COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta