Vereadores “rasgam o verbo” sobre possível esquema no Sine de Canaã dos Carajás

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

A alta de empregos vem chamando atenção para Canaã dos Carajás de todos os locais do Brasil. Mas, isso tem causado problemas internos sobre o gerenciamento das vagas que são disponibilizadas ao público pelo Sistema Nacional de Empregos – Sine, que é responsável por entregar as famosas ‘cartas’ para o trabalhador se dirigir às empresas. O tema virou discussão na última sessão desta terça-feira(17) na Câmara de Vereadores.

A discussão iniciou com o vereador Wilson Leite, que no grande expediente, questionou a desproporcionalidade de oportunidades geradas no município e empregos formalizados pelo Sine. Segundo o vereador, quase três mil empregos já foram gerados neste ano, e pouco mais de quinhentas pessoas foram empregadas através do Sine.

“Nós queremos saber, de onde vieram essas outras pessoas. Como foi que essas pessoas passaram pelo Sine e conseguiram as cartas.”, questionou o vereador na tribuna.

Após, Miguel da Saúde que já vem fazendo críticas sobre a valorização profissional local pelas empresas que prestam serviços na região e que pagam salários aquém do teto praticado no município.

Também, o vereador Chefinho que observou sobre  discrepância das vagas ofertadas pelas empresas e os empregos formalizados pelo Sine.

“Não se encontra um condomínio pra alugar no município, anda-se nas ruas, não se conhece as pessoas, pois estão contratando gente de fora para trabalhar aqui”, pontuou Chefinho

Já o líder de governo, o vereador Cleverson Zajac, voltou enfatizar a questão da empregabilidade no município envolvendo a grande mineradora Vale e o Sistema Nacional de Empregos – Sine. O vereador revelou a ver uma investigação por parte do legislativo.

“Nós estamos fazendo um levantamento e todas as apurações para informar tão logo a população sobre o que é que está acontecendo neste déficit de empregos para nossa população. Nós precisamos favorecer e beneficiar a população de Canaã dos Carajás.”, Disse o vereador

A vereadora Maria Pereira também questionou a situação, fazendo referência, às mulheres que, segundo ela, são as que mais sofrem para encontrar trabalho, principalmente na mineração.

“O que está acontecendo não se sabe. Mas vamos descobrir porque nossos trabalhadores estão desempregados.”, pontuou a vereadora

Segundo a vereadora, só no primeiro semestre, aproximadamente 2.800 oportunidades foram geradas, porém só 500 passaram pelo Sine.

“Nós queremos saber o por que e como isso está acontecendo.”

Já o vereador, Cabelo, questionou o teto salarial pago pela mineradora, que segundo ele, está abaixo de valores pagos em outros municípios.

  Empresas selecionam profissionais em Canaã nesta segunda (27)

O vereador Antônio do Lanche também fez críticas ao processo de seleção de profissionais, alegando que o problema está na mineradora. Disse também que os vereadores são acusados de entregar cartas de empregos, o que, segundo ele, ‘é mentira’.

Já o vereador Flávio Gomes, indagou sobre a exigência de experiência exigida nas vagas ofertadas, além de denunciar sobre os critérios de idade, onde pessoas acima de cinquenta anos não estão sendo aceitos.

O vereador Werbet Felipe também falou, pedindo mais flexibilização das empresas para ajudar os trabalhadores do município.

“Nós precisamos que as empresas flexibilizem esse quesito de experiência.”, Pediu o vereador

Enquanto presidente da casa, o vereador Dinilson José, afirmou que dará todo o apoio para solucionar o problema.



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

5 respostas em “Vereadores “rasgam o verbo” sobre possível esquema no Sine de Canaã dos Carajás”

Verdade as só fixa pessoa de outra cidade porque meu esposo tem curso mas não fixa porque não tem na carteira todo mundo presisa de uma oportunidade

E bom questionar isso porque agente faz um curso pra agente ter uma oportunidade e nada se a pessoa fez o curso e passou e porque tá abito a exercer na profissão dejesada aí pede 2 anos de esperiencia se a pessoa tá precisando do trabalho urgente aí fica ruim tem que melhorar nesse quesito e da oportunidade pra pessoa trabalhar e só fazer o teste e pronto

Só quem “frequenta” (ou) o sobe sabe as dificuldades que os trabalhadores passam aí chegarem naquele lugar. E algumas coisas precisam ser pontuadas e investigadas por aqueles políticos que se dizem ( e se fazem) de indignados pela povo Cananense tais como:
1- É sabido por todos ali (sem provas é claro) que muitas vagas são reservadas a vereadores para entregarem a seus eleitores.
2- A falta de educação e empatia com os trabalhadores no sobe por parte de alguns funcionários chega a ser de um absurdo enorme pois parecem que estão ali fazendo favor.
3- Muitas empresas que enviam as vagas para o sobe por mera formalidade mas qdo os que recebem as cartas chegam nas empresas o processo seletivo já finalizou.
4- É sabido tbm pelo meio doa trabalhadores que muitas empresas que chegam ao município já trazendo sua mão de obra de fora pois consideram a mão de obra local muito onerosa.
5- Os senhores vereadores, assim como toda população, sabe que o município não tem nenhum centro de capacitação para ajudar os trabalhadores locais a se capacitarem mais e assim poder concorrer a cargos melhores na empresas, deixando sempre nossa mão de obra como aquela basal onde é a primeira a ser descartada e substituída nas obras.
Pelo visto, a falta de capacidade técnica de avaliação dos problemas locais já começa nas lideranças políticas do nosso município começa, imagina a dificuldade que tem em solucionar, se nem conseguem identificar 🤔

Deixe uma resposta

Ofertas

+ Empregos