O estado do Pará já registrou nos últimos dez meses mais de cinquenta mil focos de queimadas espalhados pelos 144 municípios, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

No levantamento do ranking dos municípios paraense que mais causaram queimadas neste período, temos São Félix do Xingu liderando com 20% de ocorrências, seguida por Altamira com 12,8%, após, Novo progresso com 6,8%. Os demais apresentam menos de 5% de ocorrências de focos de queimadas.

O Portal Canaã fez o levantamento dos últimos cinco dias de outubro dos município paraenses, que passam pelo período mais turbulento do ano, onde o calor e a estiagem apresentam grandes proporções, facilitando o surgimento de focos de incêndios, praticado exclusivamente por ações do Homem.

No período de 5 dias os municípios como São Felix, Altamira, Marabá e Parauapebas se destacam, onde São Felix apresentou 2.700 focos, Altamira 2.470, Marabá 955 e Parauapebas 822 focos no período de 1 a 5 de outubro. Neste cenário, Canaã dos Carajás apresentou apenas o 150 focos.

Parauapebas já liderou o ranking, juntamente com Altamira, no início ano. Veja aqui.

Em nível Nacional, e resumindo-se aos estados, o Pará ainda se mantém na liderança, mesmo após chegar a nível alarmante em setembro, na ordem dos maiores causadores de  danos ao meio ambiente, Pará está no pico com 26% dos índices, seguido por Maranhão e Mato Grosso, que representam 18% e 10% dos focos de queimadas no Brasil.

Crime 
Provocar queimadas em florestas é considerado um crime ambiental, de acordo com o artigo 50 do Decreto Federal 6.514/2008. É infração destruir ou danificar florestas ou qualquer tipo de  vegetação nativa ou de espécies plantadas sem autorização ou licença da autoridade ambiental competente, resultando em multas a partir de R$ 5.000,00 por hectare.

Portal Canaã