Em mais uma etapa de desenvolvimento do projeto da Siderúrgica, a Secretaria de Industria, Comércio e Mineração de Marabá (SICOM), em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Marabá (ACIM), recebeu engenheiros da Posco acompanhados de representante da Vale e da própria Cevital.

Na visita foi desenvolvido levantamentos na área de construção da usina visando fechamento do projeto de viabilidade econômica a ser apresentado no início de março ao pessoal técnico, visando inclusão para aprovação da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), na pauta da próxima reunião do conselho.

O Secretário, Ricardo Pugliese ressaltou que a visita  técnica foi para o andamento do processo de elaboração dos projetos de viabilidade econômica e industrial do empreendimento. “Podemos afirmar que o processo caminha com a firmeza e segurança que um empreendimento desta ordem requer de todos os envolvidos.”,  afirmou o Secretário de Indústria e Comércio.

A siderúrgica de Marabá terá capacidade para gerar 2,7 milhões de toneladas de aço com a produção de bobinas de aço, ferro gusa, “biletts”, “blooms”, entre outros. Issad Rebrad, presidente da Cevital Groupe, anunciou também que um dos produtos da siderúrgica de Marabá será a fabricação de trilhos para a estrada de ferro.

A empresa é líder na Europa na produção de trilhos, com uma fábrica sediada na Itália e agora pretende ser a primeira a produzir trilhos na América Latina. “Marabá será conhecida, brevemente, como a principal fornecedora de trilhos para estrada de ferro de toda a América Latina”, garantiu Rebrad ao informar que a empresa também vai trazer para o Pará a tecnologia de aço em pó, que poucas empresas no mundo detêm. Quando estiver em funcionamento, a siderúrgica de Marabá deve gerar 2,5 mil empregos diretos, além de seis a oito mil empregos indiretos.