Lideranças comunitárias, secretarias municipais e sociedade civil organizada vêm promovendo uma nova dinâmica no município de Canaã dos Carajás, quando o assunto é meio ambiente. Isto porque, é por meio da discussão conjunta desse grupo que alguns projetos vem sendo desenvolvidos no município. Um dos resultados dessa interação ocorreu essa semana, com a inauguração do viveiro municipal ampliado e revitalizado e com capacidade de produzir 200 mil mudas por ano de espécies florestais, frutíferas e ornamentais.

O grupo surgiu há quatro anos, por meio das reuniões e ações do Programa de Educação Ambiental (PEA) executado pela Vale, uma das condições determinadas pelo Ibama para instalação e operação do Complexo S 11D e pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) no  âmbito do Sossego, no município. E hoje é um fórum de discussão colegiado, o Comitê de Educação Ambiental.

“Para este ano, uma das prioridades elencadas pelo grupo foi atuar para recuperar áreas de preservação permanente,  margens do rios e nascentes, arborizar a cidade e apoiar projetos para diversificação econômica por meio de Sistemas Agroflorestais. Mas para isso seria fundamental, a produção de mudas e daí se decidiu pelo projeto”,  conta a analista ambiental da Vale, Nivia Costa, coordenadora do Programa de Educação Ambiental (PEA). O grupo reúne-se mensalmente na sede do município.

Evento de inauguração do viveiro ampliado, que terá capacidade de produzir 200 mil mudas

A reforma foi realizada pela prefeitura de Canaã dos Carajás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Produção Rural (Sempru) com  apoio da Vale e a parceria da Agência de Desenvolvimento de Canaã. Entre as espécies que serão produzidas estão açaí, cupuaçu, acerola, ipê, castanha do Pará e mogno. Por meio do viveiro, também será feito o atendimento, aos produtores rurais com orientação sobre práticas ambientalmente sustentáveis na produção agrícola.

Para a Diretora da Agência Canaã e atual coordenadora do Comitê de Educação Ambiental, Graça Reis, são vários os ganhos com a implantação do PEA e a formação do Comitê. “Um dos principais resultados está na integração entre as próprias secretarias e junto à sociedade civil, que contribui para sinergia e maior efetividade das conquistas ambientais para o município”, diz Graça. Como exemplo, ela cita a aprovação da coleta seletiva em repartições públicas decretada pela prefeitura municipal. “Essa ação conta também com a atuação do Comitê”, comemora Graça.

Outra ação foi a transformação do Parque Veredas em uma Unidade de Conservação Municipal. Por meio do Comitê, foi elaborado o Plano de Manejo e o Georeferenciamento do Parque, o que possibilitou o cadastramento do mesmo no Sistema Nacional (Snuc). O Comitê é formado hoje por cerca de 20 organizações distintas entre secretarias municipais, conselhos, associações de bairros, associação de produtores, cooperativas, sindicatos e organização juvenil.