Nova usina poderá ser instalada no Salobo III

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Vale está estudando o projeto de instalação de uma nova usina em Salobo, no município de Marabá (PA), para recuperação do minério bruto previamente estocado e que ainda contém bons teores de cobre e ouro.

Segundo a empresa, com esse projeto, que prevê a instalação de uma nova planta de concentração com capacidade para processar 12 milhões de toneladas anuais de material, o potencial de produção de cobre no complexo Salobo aumentaria para 250 mil toneladas/ano. Como se trata de minério já estocado, o seu processamento resultará em redução dos custos operacionais, além de possibilitar aumento da quantidade de ouro produzida no empreendimento.

Para financiar o projeto, a Vale pensa em negociar um adiantamento de recursos da ordem de US$ 500 milhões com a Silver Wheaton pela venda de ouro previamente negociado. Ou seja, a Vale usará a produção futura de ouro para financiar o projeto Salobo III, como é chamado.

Redução de investimentos

De acordo com o diretor de Finanças da Vale, Luciano Siani, a companhia vai reduzir gradativamente o seu nível de investimento em projetos de crescimento durante os próximos anos.

Para 2016, a estimativa é que os investimentos sejam reduzidos para US$ 6,2 bilhões, dos quais US$ 3,2 bilhões serão destinados a capex e US$ 3,0 bilhões irão para manutenção e reposição de equipamentos e instalações. Em 2017 o valor cairá para US$ 5,3 bilhões (US$ 1,8 bilhão em capex e US$ 3,5 bilhões em manutenção), em 2018 o total será de US$ 4,6 bilhões (US$ 1,1 bilhão em capex e US$ 3,5 em manutenção), caindo para US$ 4,4 (US$ 1,1 bilhão e US$ 3,3 bilhão, respectivamente), até chegar em 2020 com um nível de apenas US$ 4,2 bilhões, dos quais US$ 1,1 bilhão alocado em capex e US$ 3,1 bilhão em manutenção).

  Abertas inscrições para nova turma de Mestrado Profissional do ITV

O executivo afirmou, ainda, que os projetos que estão sendo concluídos (S11D, incluindo a parte logística, os projetos Itabiritos e a CSP encerram o ciclo de grandes investimentos da Vale em crescimento orgânico.

Salobo é o segundo projeto de cobre desenvolvido pela Vale no Brasil. A mina está localizada em Marabá, sudeste paraense, e entrou em operação em novembro de 2012. O empreendimento tem capacidade nominal estimada de 100 mil toneladas anuais de cobre em concentrado. Com a expansão da operação, o Salobo II, a capacidade de produção do empreendimento será duplicada para 200 mil toneladas anuais do produto.

Salobo envolve a operação integrada de lavra a céu aberto, beneficiamento, transporte e embarque. O escoamento da produção é feito por rodovia, da mina até terminal ferroviário existente da Vale em Parauapebas (PA), de onde é transportada pela Estrada de Ferro Carajás até o terminal marítimo de Ponta da Madeira (MA).

Em 2013, a unidade produziu 65 mil toneladas de cobre contido em concentrado. No primeiro semestre de 2014, foram produzidas 40,8 mil toneladas do produto. O cobre é um dos metais mais utilizados no mundo hoje, atrás apenas do ferro e do alumínio, sendo largamente empregado na geração e na transmissão de energia, em fiações e em praticamente todos os equipamentos eletrônicos – como a televisão e o telefone celular.

  Arte em Cores leva experiência de arte urbana a municípios do Pará e do Maranhão

Redação do Portal Canaã

Uma resposta em “Nova usina poderá ser instalada no Salobo III”

Esse ouro serve para atenuar a fuaaulcto de moeda em papel. Um dia, sim, pode valer-nos muito mais do que os 16 mil milhoes actuais. Alias, 16 mil milhoes agora so tapam um buraquinho dos 400 mil milhoes da nossa divida.A malta nova agradece que nao se mexa…

Deixe uma resposta

Leia mais