Canaã dos Carajás tem até 2021 para extinguir lixão

Municípios com população entre 50 mil e 100 mil habitantes até 31 de julho de 2020 para acabar com os lixões, após a tão discutida prorrogação aprovada pelo congresso no dia 1º de Julho. Antes de irmos aos prazos, vamos entender um pouca da estória.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Municípios com população inferior a 50 mil habitantes tem 31 de julho de 2021 para acabar com os lixões, após a tão discutida prorrogação aprovada pelo congresso no dia 1º de Julho. Antes de irmos aos prazos, vamos entender um pouca.

A existência do Lixão hoje, apesar de todos problemas ambienta e malefícios à saúde humana e ambiental, é considerado um desrespeito as leis ambientais.

Grande parte das cidades brasileiras ainda sofrem por não terem um destino final e sustentável para o lixo. Mesmo com a aprovação de uma lei em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólido, muitos municípios não foram capazes de desenvolver um plano de gestão e por em prática o que foi definido, que era a erradicação dos lixões nos 4 anos subsequentes. Em 2014 no fim do prazo, poucos municípios conseguiram seguir a risca o que estabelecia a lei, totalizando em média 40% dos municípios. Assim como muitos, Canaã dos Carajás faz parte dos 60% que não cumpriram a meta nacional.
Após a não adequação total dos municípios à meta nacional (por falta de gestão, orçamento e apoio), tentou-se prorrogar o prazo para 2018, uma tentativa que não vigorou na época, mas foi firmado que os estados e municípios desenvolveriam seus planos de gestão, sobe um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC com o Ministério Público que é responsável por fiscalizar a execução da lei, todos os municípios atrasados teriam que em curto prazo erradicar seus lixões a céu aberto e dar um destinação adequada ao lixo, o que não foi levado a sério
.
De acordo com Margaret Matos (2014, Agência Brasil), Coordenadora do Projeto de Encerramento dos Lixões e Procuradora do Trabalho do Paraná, “A partir de 2 de agosto de 2014, a lei não vai permitir que sejam depositados materiais recicláveis e resíduos orgânicos em nenhum aterro. Então, aqueles que demostrem interesse de cumprir as obrigações, que firmem acordo com o Ministério Público. Se não fizer absolutamente nada, nem tomar providências, nem assinarem o TAC, vão responder por ação civil pública, por improbidade administrativa e crime ambiental”

  Escola com apoio Militar de Canaã vence etapa estadual do Prêmio Gestão Escolar 2020

Diante disso tudo houve uma revira volta. Quem defendia a prorrogação continuou defendendo e que tinha que se adequar não se adequaram, então resolvera prorrogar de maneira escalonada para cada situação.

Prazos
Com a nova propostas capitais e municípios integrantes de regiões metropolitanas (RM) ou de regiões integradas de desenvolvimento (RIDE) têm até 31 de julho de 2018 para acabar com as atividades do lixão; municípios com população superior a 100 mil habitantes até 31 de julho de 2019; municípios com população entre 50 mil e 100 mil habitantes até 31 de julho de 2020; e municípios com população inferior a 50 mil habitantes até 31 de julho de 2021.

O Novo Padrão
O Manejo adequando dos resíduos sólidos, através da implantação do Aterro Sanitários, se dá principalmente por três fatores: A destinação sem impactos e tratamento do resíduo; a coleta seletiva para a reciclagem e reaproveitamento de materiais reutilizáveis; geração de energia através do gás metano que advém do lixo; e, inclusão social e produtiva dos catadores de materiais recicláveis. Contudo, são fatores inexistentes na grande maioria dos municípios do Sul e Sudeste do Pará.

 

Por: Jorge Clésio: Ambientalista, formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e graduando em Engenharia de Produção. 
  Quem deve ser o próximo presidente da Câmara de Canaã dos Carajás?

Deixe uma resposta

Leia mais