Helder Barbalho disse que não irá seguir as decisões de Bolsonaro e academias e salões permanecerão fechadas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Helder Barbalho em Canaã dos Carajás durante a Fenecan 2019 / Foto: Jorge Clésio

A inclusão de academias e salões de beleza entre atividades essenciais, feita na segunda-feira (11) pelo presidente Jair Bolsonaro, gerou uma reação negativa entre alguns governador, que não acataram a mudança nas regras.

Um caso concreto é do governador do Pará, Helder Barbalho, que disse seguir o entendimento do STF e que as atividades irão permanecer fechadas. Confira o anúncio do Governador.

“Diante do decreto do Governo Federal, que considera salões de beleza, academias de ginástica e barbearias como serviços essenciais, reafirmo que aqui no Pará essas atividades permanecerão fechadas. A decisão é tomada com base no entendimento do STF.”, publicou no Twitter.

Outro caso é do governador do Partido Comunista do Brasil, do Maranhão, Flávio Dino que disse à Reuters:

“Aqui no Maranhão nós sabemos que a terra é redonda e que precisamos cuidar o coronavírus com seriedade. Vai continuar a valer o decreto estadual”

Uma resposta em “Helder Barbalho disse que não irá seguir as decisões de Bolsonaro e academias e salões permanecerão fechadas”

Bancos,feiras,casas lotericas,supermercados 24 horas,quer dizer que quem transmite o vírus é so o pobre da periferia é?paciência, com os grandalhões eles não mechem.

Deixe uma resposta

+ Sobre