Em Parauapebas, Padrasto é preso acusado de abusar sexualmente de menina de 11 anos de idade

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

(Pebinha de Açúcar) A vendedora autônoma Thatiane de Jesus Rodrigues, 29 anos, solteira, natural de Curionópolis (PA), residente no Bairro Vila Nova, em Parauapebas, denunciou junto à Polícia Civil o então companheiro dela, Israel Gaia de Andrade, acusando-o de vir abusando sexualmente de uma filha dela, de apenas 11 anos de idade. O acusado foi preso na sexta-feira (26) e no dia seguinte foi conduzido para o presídio.

Em declarações prestadas à reportagem do Portal Pebinha de AçúcarThatiane de Jesus, ainda bastante abalada com o que o marido dela vinha cometendo com a filha, explicou que, após investigação, tomara conhecimento que a filha vinha sendo abusada pelo padrasto há cerca de quatro anos.

“Eu confiava muito nele, como companheiro, nesses sete anos de convivência. Ele era muito correto nos compromissos dele. Foi uma surpresa saber o que ele vinha fazendo com minha filha”, declarou a dona de casa, acrescentando que por ela o ex-companheiro vai apodrecer na cadeia.

Thatiane de Jesus revela um fato que ela considera bastante lamentável: “Quando eu liguei pra mãe dele, comunicando o fato, ela disse que o filho dela era macho, que eu tinha duas meninas e vivia com ele porque queria. Isso é coisa pra uma mãe falar numa situação dessas? Todo mundo que me conhece sabe o cuidado que tenho com minhas filhas”.

Boletim de ocorrência
No boletim de ocorrência, Thatiane de Jesus disse que no início da noite de quinta-feira (25) se encontrava no quarto com a filha de 11 anos e saiu por um instante para atender a um cliente por celular. Quando retornou ao quarto, flagrou Israel Gaia deitado na cama com uma das mãos no celular e a outra por baixo do vestido da menina.

  Em Parauapebas, Vereador pede redução de 50% dos salários durante pandemia e é reprovado

Ela disse ter perguntado o que estava acontecendo e o suspeito respondeu que não estava acontecendo nada. Em seguida, Thatiane pegou a filha e a tirou do quarto, fechou as portas e ambas ficaram numa área aberta da residência.

Neste momento, ainda segundo o B.O, a mulher começou a investigar a menina sobre o que Israel fez ou vinha fazendo com ela, mas a criança negou que não estava acontecendo nada.

No dia seguinte, Thatiane voltou a inquirir a filha para saber o que tinha acontecido com ela e o padrasto na noite anterior, mas ela negou pela segunda vez, foi quando a mãe pegou o celular e fingiu uma ligação para Israel na frente da filha, dizendo pra ele que estava sabendo de tudo, mas a menina não estava querendo falar a verdade.

Acreditando que a mãe tinha mesmo falado com o padrasto, a menina começou a chorar, dizendo para a mãe que não podia falar porque tinha medo de dar morte, pois Israel havia ameaçado que uma das duas iria morrer, caso a criança contasse alguma coisa para a genitora.

Encorajada pela mãe, a menina deu detalhes sobre os abusos que vinha sofrendo pelo padrasto, principalmente à noite, quando todos estavam dormindo e ele ia ao quarto dela, deitava ao lado da criança, ligava o celular, colocava vídeos pornográficos e ficava passando a mão na vagina dela.

  Em Parauapebas, Vereador pede redução de 50% dos salários durante pandemia e é reprovado

Segundo a menina, ela vinha sofrendo abuso do padrasto desde quando ela tinha apenas sete anos de idade e a família morava noutra residência no Bairro Cidade Jardim.

A criança foi encaminhada para submeter-se a exame de conjunção carnal no IML e depois passou a ser assistida por uma psicóloga, enquanto o acossado foi preso e se encontra à disposição da Justiça.

Deixe uma resposta

Leia mais