UFPA oferta cursos de formação de especialistas em Assistência Técnica e Extensão Rural na cultura do cacau

A Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec) abriu vagas para os cursos de formação, capacitação e qualificação de técnicos especialistas em Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), no âmbito da cultura do cacau, no Polo Transamazônica – Rota do Cacau. Também está sendo feita a seleção para instrutores. As inscrições serão realizadas até o dia 15 deste mês.

Os interessados devem acessar a área de cursos de qualificação no site da Fadesp para obter o formulário que deverá se entregue junto com a documentação exigida no edital. Exceto a formação superior em Agronomia ou Engenharia Florestal ou técnica em Sistemas Agrícolas ou Agropecuários, as demais exigências são diferentes para os cargos de instrutor e de técnico.

Os requisitos para instrutor são: atuação há pelo menos dois anos nos municípios de Pacajá, Anapu, Altamira, Brasil Novo, Medicilândia, Uruará, Placas, Senador José Porfírio, Vitória do Xingu, Novo Repartimento e Rurópolis na cadeia da cacauicultura, e disponibilidade para atuar no município de Uruará, entre 15/09 e 30/09 e 15/10 e 30/10, períodos em que as capacitações do projeto estão programadas para ocorrer.

Para fazer o curso técnico é preciso ser profissional vinculado ao Serviço Público ou a cooperativas de produtores de cacau ou a empresas de cultivo de cacau estabelecidas em municípios do Polo Transamazônica da Rota do Cacau e estar atuando há pelo menos dois anos nos municípios de Pacajá, Anapu, Altamira, Brasil Novo, Medicilândia, Uruará, Placas, Senador José Porfírio, Vitória do Xingu, Novo Repartimento e Rurópolis na cadeia da cacauicultura como prestador de serviço de assistência técnica e extensão rural.

Os participantes do curso técnico também precisam de termo de dispensa do trabalho para afastamento das atividades laborais no período das capacitações. A carga horária é de 160 horas. Entre os temas a serem abordados estão: a “Importância Econômica e Sócio Ambiental das Regiões Produtoras” e o “Aproveitamento de Subprodutos da Cacauicultura”.

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta