UFPA ofertará cursos em 14 municípios do pará

Imagem: PMC

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A assinatura de convênios entre a Universidade Federal do Pará (UFPA), a Universidade do Estado do Pará (UEPA), a Universidade do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), o Governo do Estado do Pará por meio da Secretaria Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e quatorze prefeituras marcou, na manhã desta terça-feira, 20, o lançamento oficial do Programa Forma Pará, em solenidade realizada no Teatro Waldemar Henrique, em Belém. Os convênios firmados envolvem a oferta de cursos de graduação em 14 municípios alcançados na primeira edição do programa.

Participaram da mesa de abertura o reitor da UFPA, Emmanuel Zagury Tourinho; o secretário de Estado Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, Carlos Edilson de Almeida Maneschy, o reitor da UEPA, Rubens Cardoso, o reitor da UNIFESSPA, Maurílio Monteiro, e a prefeita de Mocajuba, Elieth de Fátima Braga, representando todos os prefeitos e autoridades municipais presentes.

Expansão da oferta – O reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho, apontou que o programa reconhece a importância da educação para o desenvolvimento do estado. “A melhor aposta que se pode fazer para superar as dificuldades e carências da nossa população é o investimento em educação. Parabenizo o governador Hélder Barbalho e o secretário Carlos Maneschy por esta iniciativa, que já nasce vitoriosa”, disse Emmanuel Tourinho, afirmando que a expansão da oferta de cursos de nível superior na atual conjuntura só é possível com a parceria entre o governo estadual, as instituições e as prefeituras. “Só é possível avançar, alargar a oferta de vagas, juntando os esforços dos que têm compromisso com o desenvolvimento do Pará”, ressaltou o reitor da UFPA.

Referindo-se à grande procura dos paraenses por um curso superior, o reitor da UEPA, Rubens Cardoso, contabilizou o déficit no ensino superior, informando que ao somar todas as vagas ofertadas pelas instituições públicas do Pará há cerca de 17 mil vagas, e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) inscrevem-se mais de 250 mil pessoas no Estado. “O Programa Forma Pará é uma oportunidade ímpar. Possibilita formar mais e melhor as pessoas em seus próprios municípios, que ao indicar os cursos ofertados atende vocações específicas, e o desenvolvimento virá de forma sustentável e benéfica”, acrescentou o gestor da UEPA.

Pressão por melhorias – Com a implantação de cursos de graduação nos municípios onde não há campus universitário, Maurílio Monteiro acredita que haverá maior cobrança por políticas públicas locais, aumentando a pressão social sobre as administrações. “Será uma cobrança boa, que fará com que todos cresçam”, frisou o reitor da Unifesspa, dirigindo-se aos prefeitos e secretários municipais presentes. Maurílio Monteiro também destacou sua alegria de participar da implantação do Programa, e elogiou a iniciativa do governo do Estado. “Num momento em que enfrentamos problemas gravíssimos com o contingenciamento dos investimentos nas universidades federais, a sociedade paraense responde com uma parceria que expande a oferta de vagas. Estou muito feliz de participar desse momento”, reiterou.

A prefeita Elieth Braga concordou com o reitor da Unifesspa, dizendo que a cobrança sobre as administrações municipais será maior depois da implantação de cursos de nível superior, aumentando a pressão pelo desenvolvimento local. Ela enfatizou, ainda, a importância da educação para o crescimento da sociedade. “A educação é tudo. Sem ela não há desenvolvimento”, declarou a prefeita de Mocajuba.

Compromisso de governo – O secretário Carlos Maneschy agradeceu as palavras de incentivo da prefeita e dos reitores, ratificando o compromisso do Governo Hélder Barbalho com o investimento em educação como meio para alcançar o desenvolvimento não apenas econômico, mas também social e humano da população paraense. “O ‘Forma Pará’ vem diminuir o déficit da oferta de vagas no ensino superior no Estado. Sabemos que as desigualdades são imensas e históricas. Uma das que mais me incomodam é a assimetria na educação. Vamos oferecer pelo menos 4 mil novas vagas em quatro anos. Pode parecer pouco diante da demanda, mas, com certeza, é muito mais do que foi feito antes”, ressaltou o secretário, reafirmando seu compromisso pessoal com a expansão do ensino superior público em território paraense.

O resultado do processo seletivo especial, realizado pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) nos 14 municípios que assinaram os convênios será divulgado nesta quinta-feira, 22. Estão em disputa 900 vagas, em oito cursos e 18 turmas. Mais 100 vagas serão ofertadas em Mosqueiro (distrito de Belém).

Mais informações sobre o processo seletivo estão no site da Fadesp.

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta