Sedeme e Famep fecham parceria para fortalecimento do turismo no estado do Pará

Fernanda Cirino/ASCOM FAMEP

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Após agenda em Brasília, o presidente da Federação das Associações de Municípios do Estado do Pará (Famep) e prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, esteve em reunião com o Secretário da Secretaria Estadual De Desenvolvimento Econômico, Mineração E Energia (Sedeme), Iran Lima, na noite da última quarta-feira (13), em Belém. Também estavam presentes na reunião o Secretário de turismo, André Dias; A Secretária adjunta de gestão administrativa e financeira, Luciana Bitencourt e o Secretário adjunto de desenvolvimento econômico, minas e energia, Carlos Ledo.

A parceria da Sedeme com a Federação é feita com o objetivo de implementar o Programa de Regionalização do Turismo (PRT), que é organizado pelo Ministério do Turismo e tem como objetivo aperfeiçoar a articulação com as 27 unidades da Federação e promover o intercâmbio de atividades, como a atualização do Mapa do Turismo e o fortalecimento das instâncias de governança regionais. O PRT define diretrizes que orientam sobre as metas para estruturação de destinos, a qualificação e a diversificação da oferta turística do país. Os eixos estruturantes do PRT incluem, ainda, empreendedorismo, infraestrutura, posicionamento de mercado, captação de investimentos, qualificação profissional e informação a visitantes. O interessante é que no último levantamento, o Pará inclui 129 municípios no Mapa do Turismo Brasileiro.

O presidente da Famep ressaltou que o principal objetivo da parceria é justamente incentivar e apoiar os municípios a realizarem a criação de um Conselho Municipal de Turismo. “Assim, os municípios poderão entrar no sistema do Ministério do Turismo, fazendo com que o estado e municípios possam avançar mais, em questão de investimentos nesse setor, fomentando mais o turismo na nossa região, incentivando principalmente o turismo interno, para que os municípios recebam turistas de outros estados e outros países. Vejo a iniciativa como uma mola propulsora de progresso, desenvolvimento, geração de emprego e renda para toda a população paraense”, destacou Nélio.

O trabalho será realizado em conjunto com o Governo do estado, dando a oportunidade para que todos os municípios implantem o seu próprio Conselho Municipal de Turismo, uma vez que, dos 144 municípios do Pará, apenas 24 já possuem o Conselho.

Apesar de o estado possuir diferenças de potencial turístico, a intenção da parceria é incentivar todos os 144 municípios, uma vez que, mesmo possuindo diferenças, todos tem potencial para trabalhar o turismo e isso será demonstrado aos gestores e agentes municipais através de seminários de aprimoramento da gestão municipal do turismo paraense, que serão realizados até o mês de março em cada Polo regional do Estado, distribuídos em Belém, Capanema, Soure, Breves, Altamira, Marabá e Tucuruí.

“Nós temos um cronograma de 9 seminários em regiões do estado e lá, nós estaremos explicando o que todos os municípios precisam fazer, então é importante que todos os municípios consigam acompanhar os seminários de sua região, pois, mesmo sem considerar o potencial turístico do município, o gestor poderá ver de fato, a capacidade turística deste município através do Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável (PDTS)”, ressaltou o secretário de Turismo, André Dias.

Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável (PDTS)

O PDITS é um instrumento de planejamento do turismo em uma área geográfica selecionada, que tem por objetivo principal orientar o crescimento do setor em bases sustentáveis, em curto, médio e longo prazo, estabelecendo as bases para a definição de ações, as prioridades, e a tomada de decisão. Deve, portanto, constituir o instrumento técnico de gestão, coordenação e condução das decisões da política turística e de apoio ao setor privado, de modo a dirigir seus investimentos e melhorar a capacidade empresarial e o acesso ao mercado turístico. Considerando-se os múltiplos agentes públicos e privados no desenvolvimento das atividades turísticas, e ainda o necessário envolvimento de grupos sociais, os PDITS devem assegurar o alcance de outros objetivos, como: Orientar as autoridades governamentais quanto aos ajustes no marco legal e institucional necessários para facilitar o pleno desenvolvimento do turismo nas áreas prioritárias e quanto aos investimentos que devem ser efetivados; Oferecer informações específicas para promover investimentos da iniciativa privada em empreendimentos e produtos turísticos que aproveitem os atrativos dessas áreas; e Conscientizar as comunidades locais sobre o papel do turismo como indutor do desenvolvimento econômico e gerador de novas oportunidades de trabalho e emprego e melhoria da qualidade de vida.

Assessoria de Comunicação/ FAMEP

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta