Parauapebas deve construir mais abrigos para vítimas de enchentes

A medida é uma Recomendação do MPPA para evitar avanço da covid-19 entre vítimas de enchentes
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Entrada de Parauapebas/PA - Foto: Jorge Clésio

De acordo com a Defesa Civil, a cidade de Parauapebas tem pelo menos 480 desabrigados por conta das enchentes que atingem a região. Essas pessoas encontram-se em situação de extrema vulnerabilidade, sobretudo no contexto do avanço acelerado da covid-19 no Estado.

O cenário é preocupante e, por conta da situação, o Ministério Público do Pará emitiu, nesta quinta-feira (23), Recomendação solicitando ao poder público a implementação de medidas de proteção a esse público. O documento é assinado pela promotora de justiça de Parauapebas, Aline Cunha.

Dentre as recomendações destacam-se a construção, pela Prefeitura e Secretaria Municipal de Assistência Social, de abrigos em quantitativo suficiente para manter o distanciamento de segurança entre as famílias para prevenção da covid-19. A construção de mais abrigos é uma forma de evitar aglomeração das famílias nesses espaços, buscando um distanciamento razoável de segurança nos alojamentos.

Antes de encaminhar as famílias para os abrigos o MPPA recomenda que elas sejam avaliadas por profissionais médicos que poderão identificar possíveis doenças infectocontagiosas, antes da entrada nos abrigos.

Os responsáveis pelos alojamentos deverão se manter em alerta e encaminhar à assistência médica imediata todos os casos de síndromes febris e demais sintomas relacionados ao novo coronavírus.

  8 candidatos a vereador estão indeferidos para eleições em Parauapebas; 2 renunciaram

O MPPA recomenda ainda a antecipação da campanha de vacinação para imunização da população que se encontra nos abrigos e que essas famílias recebam um kit higiene contendo álcool gel, máscaras descartáveis, material informativo e água potável.

Em caso de suspeita de contaminação pelo novo coronavírus (covid-19) deverá ser assegurado aos desabrigados um espaço adequado de repouso. E, em caso de necessidade de internação, deverá ser assegurada a internação hospitalar nas unidades de saúde.

Deixe uma resposta

Leia mais