OAB denuncia ameaça de morte em Parauapebas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
G1
G1

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PA) cobrou, na manhã de ontem (04), atenção das autoridades de segurança pública do Estado sobre a ameaça de morte sofrida pelo presidente da subseção da entidade, em Parauapebas, Deivid Benasor. Informações de que estaria ‘marcado para morrer’ chegaram a Benasor na última quinta-feira (3).

O presidente da OAB-PA, Alberto Campos, e Deivid Benasor comunicaram a ameaça à Divisão de Homicídios da Polícia Civil e ao Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado (Gaeco). Estava prevista, também, uma visita à Polícia Militar, pois há suspeitas de envolvimento de policiais militares no caso.

Segundo Deivid, a informação de que estaria sendo planejada a sua morte chegou a ele por um advogado criminal. “Tive contato com um colega de profissão que disse ter sido procurado por um Policial Civil de Parauapebas”, disse. “O policial teria dito ao advogado que ‘o presidente da subseção de Parauapebas estava marcado pra morrer’, porque vinha ‘batendo’ há um tempo na Polícia”, diz. Foi solicitada proteção especial a Benasor.

MOTIVAÇÃO

A subseção da OAB atua no caso de policiais militares que teriam sido flagrados em vídeo agredindo uma advogada e seu esposo em um posto de gasolina de Parauapebas, em agosto deste ano. “Em razão desta atuação é que começam a aparecer recados direcionados, talvez tentando calar a instituição”, acredita Alberto Campos.

PARA ENTENDER

Histórico de mortes

Desde 2013, segundo a OAB, em todo o Pará, 11 advogados foram assassinados, 31 sofreram ameaças de morte e 7 advogados foram vítimas de atentado.

Em 2015, o presidente anterior da subseção da OAB de Parauapebas, Jackson Souza, foi assassinado em Manaus (AM). Em 2013, o advogado Dácio

DOL

Deixe uma resposta

+ Sobre