Nova pesquisa aponta Valmir da Integral com 38,73% e Darci com 22,16% para Eleições 2020 em Parauapebas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Candidatos Parauapebas Eleições 2020 / Reprodução/Canal2N

A segunda pesquisa do instituto Data Populi com as intenções de voto para prefeito de Parauapebas, divulgada nesta segunda-feira (15), aponta que, caso a eleição fosse hoje, Valmir da Integral venceria com 38,73% dos votos válidos – votos válidos são aqueles que excluem brancos, nulos e indecisos –, o atual prefeito Darci Lermen teria 22,16% e terminaria em segundo lugar. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na comparação de votos válidos com a pesquisa Data Populi anterior, divulgada no dia 30 de abril, Valmir da Integral oscilou negativamente dentro da margem de erro indo de 39,62% para 38,73%, enquanto Darci Lermen oscilou negativamente acima da margem de erro, passando de 26,76% para 22,16%.

Júlio César apareceu no levantamento de hoje com 10,21% dos votos válidos, diante de 5,32% no último cenário, um aumento acima da margem de erro. Na sequência, em quarto lugar, aparece a vereadora Joelma Leite, que oscilou de 7,72% para 8,48%. Marcelo Catalão está com 8,29%, diante de 8,92% na última pesquisa. Francine do Hiper Senna foi de 5,49% para 4,05%. Meire Vaz passou de 3,26% para 4,24%, já Dr. Rubens Moraes foi de 2,92% para 3,85%.

Júlio César, Joelma Leite e Marcelo Catalão estão tecnicamente empatados no limite da margem de erro. Meire Vaz, Francine do Hiper Sennae Dr. Rubens Moraes também aparecem tecnicamente empatados considerando o limite da margem de erro.

Brancos, nulos e votos totais

A intenção para votos brancos e nulos (pessoas que responderam que não votariam em nenhum dos nomes listados) subiu de 14,98% para 17,66%. Os entrevistados que não souberam ou não quiseram responder somaram 17,79% contra 10,37% na pesquisa anterior, o que evidencia um aumento no número de indecisos acima da margem de erro.

Nos votos totais, ou seja, levando-se em conta os brancos, nulos e indecisos, mesmo mantendo uma folgada liderança, Valmir da Integral caiu quase 5% desde a última pesquisa, de 29,58% para 25%.

Darci Lermen também teve uma queda em comparação com a pesquisa anterior e desceu de 19,97% para 14,30%, mas se mantém na segunda posição com larga vantagem para o terceiro colocado.

Marcelo Catalão oscilou de 6,66% para 5,35%, Joelma Leite foi de 5,76% para 5,47%, Júlio César subiu de 3,97 para 6,59%, Francine do Hiper Senna foi 4,10% para 2,61%. Dr. Rubens Moraes foi de 2,18% para 2,49%.

Rejeição

O Data Populi também mediu a rejeição aos pré-candidatos, perguntando aos entrevistados “em quem eles não votariam de jeito nenhum”. Valmir da Integral e Darci Lermen, líderes na intenção de voto, também são os campeões de rejeição, com grande vantagem para o prefeito nesse quesito. Darci aparece com 56,72% de rejeição, contra 22,64% de Valmir da Integral.

A seguir, surgem Marcelo Catalão (19,03%), Francine do Hiper Senna (15,17%), Joelma Leite (14,68%), Meire Vaz (11,32%) e Júlio César (10,70%). Dr. Rubens Moraes é o menos rejeitado entre os pré-candidatos e aparece com 8,96%.

Como era possível escolher mais de uma opção, a soma dos percentuais ultrapassa os 100%.

A pesquisa

Devido a pandemia do novo coronavírus que impôs medidas de distanciamento social, o Data Populi, respeitando as recomendações das autoridades envolvidas no combate à pandemia, realizou a pesquisa por telefone entrevistando eleitores do município de Parauapebas maiores de 16 anos.

O questionário foi aplicado entre os dias 28 de maio e 10 de junho em 20 bairros do município, com 790 entrevistados. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número PA 08796/2020.

O intervalo de confiança estimado para a pesquisa é de 95%. De acordo com o Data Populi, isso significa uma probabilidade de que 95% dos resultados equivalem a um retrato do atual cenário político eleitoral em Parauapebas.

O Data Populi utiliza tecnologia de telefonia em Call Center que dispara ligações aleatórias para números de telefones celulares de eleitores nos bairros listados no plano amostral. Suas entrevistas são gravadas em arquivos de áudios.

Na aplicação dos questionários o instituto relatou problemas técnicos que o levou a alterar o prazo inicial estabelecido, o que forçou a um novo registro para a pesquisa, já que o sistema do TSE não permite alterações após 5 dias da data inicial do registro.

Canal2N

Deixe uma resposta

+ Sobre