Lei Kandir já garantiu R$18,6 milhões para Parauapebas, nos últimos 5 anos

O município de Parauapebas através da lei que estabelece a compensação financeira aos estados e municípios pela perda de arrecadação com o ICMS de produtos para exportação desde 1996, a Lei Kandir, já recebeu de repasses no últimos cinco anos um valor de R$18,6 milhões. O valor da compensação vem sendo repassado ao município mensalmente pelo poder executivo federal.

Parauapebas se destaca entre os demais, logo é a mais beneficiada. Canaã dos carajás durante o mesmo período  angariou  apenas 2,8 milhões, já Marabá com um extensão demográfica bem maior já se beneficiou com R$6,6 milhões.

Uma das normas da Lei Kandir é a isenção do pagamento de ICMS sobre as exportações de produtos primários e semielaborados ou serviços, o que Canaã dos Carajás vem se sobressaindo muito bem.

A Lei

A Lei Kandir estabelece a compensação financeira aos estados e municípios pela perda de arrecadação com o ICMS de produtos para exportação desde 1996.

Como o ICMS é administrado pelos Estados e tem 25% da arrecadação partilhada com os Municípios, o governo federal compromete-se a repor as perdas todos os anos. Os principais Estados impactados pela Lei Kandir são os grandes exportadores de produtos agropecuários. Entre eles estão: Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e Paraná.

Veja também:  Banco do Povo já investiu mais de R$ 10 milhões em pequenos empreendimentos de Parauapebas

Até 2003, a Lei Kandir garantiu aos estados o repasse de valores a título de compensação pelas perdas decorrentes da isenção de ICMS, mas, a partir de 2004, a Lei Complementar 115 – uma das que alterou essa legislação –, embora mantendo o direito de repasse, deixou de fixar o valor. Com isso, os governadores precisam negociar a cada ano com o Executivo o montante a ser repassado, mediante recursos alocados no orçamento geral da União.

Redação do Portal Canaã

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta