Pará fecha 2019 em primeiro lugar em saldo da balança comercial Brasileira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Foto: Reprodução / Vale
Foto: Reprodução / Vale

De acordo com dados do Ministério da Economia, analisados e divulgados pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Pará (CIN/FIEPA), em 2019 o Pará exportou um total de US$ 17.486.997 bilhões, garantindo o primeiro lugar em saldo positivo da balança comercial (US$ 16.266.781 bilhões). Em valor exportado, se comparado com 2018, o Estado subiu duas posições no ranking nacional, ficando na quinta colocação, à frente de estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

“Os resultados demonstram a importância do Pará no cenário econômico nacional porque, além de sermos o primeiro lugar em saldo na balança comercial brasileira, somos também o quinto maior exportador, o que reforça que o Pará está muito bem posicionado no comércio exterior e que a nossa indústria está cada vez mais fortalecida e com grande potencial de crescimento”, explica Cassandra Lobato, coordenadora do CIN/FIEPA.

Assim como em anos anteriores, os minerais foram o destaque da balança comercial de 2019, sendo responsáveis por 90% das exportações paraenses. Ao todo, foram US$ 15.789.839 bilhões em produtos exportados, com destaque para o minério de ferro bruto que teve um crescimento de 23,94% no período, chegando a exportar mais de US$ 11 bilhões, principalmente para o mercado chinês.

Veja também:  Helder Barbalho aceitaria zerar o ICMS se pudesse taxar a mineração em 6,6%

A madeira também manteve o bom desempenho de 2018, com um volume de US$ 226.843.635 milhões e crescimento de 5,17% em relação ao ano anterior, tendo ainda como principal destino os Estados Unidos. Nesta categoria de produtos tradicionais, a lagosta foi o produto que teve a maior variação de crescimento no ano, chegando a 304% de aumento das suas exportações, principalmente para os Estado Unidos. Outro produto que apresentou um bom desempenho foram os peixes, com variação positiva de 10%, também para os Estados Unidos.

Já a soja, que foi o produto não tradicional mais exportado em 2018, com um crescimento de mais de 30%, não conseguiu manter o mesmo índice em 2019. O volume de exportações no período foi de US$ 526.470.719, com uma redução de 7% em comparação com o ano anterior.

A Ásia se manteve como o bloco econômico que mais comprou produtos oriundos do Pará, com destaque para o minério de ferro e seus concentrados exportados para a China. Ao todo, em 2019, o continente asiático (excluindo o Oriente Médio) importou quase US$ 12 bilhões, o que representou 68% do volume total de exportações realizadas pelo Estado, no período.

A cidade de Parauapebas manteve o índice em 2019, com exportações acima de US$ 6 bilhões, ocupando o primeiro lugar no ranking estadual tanto por volume de exportações quanto por saldo. No ranking nacional, Parauapebas ficou em terceiro lugar em volume de exportações, ficando atrás do Rio de Janeiro e Duque de Caxias, ambas no Estado do Rio de Janeiro.

Veja também:  Quinta-Feira, 06 de Fevereiro de 2020 - Notícias do Dia

Segundo a coordenadora do Centro Internacional de Negócios, diferentemente de 2018, impactado pelas incertezas relacionadas ao período eleitoral presidencial, alta do dólar e greve de caminhoneiros, 2019 apresentou um cenário mais consolidado e equilibrado que refletiu diretamente no desempenho econômico do Estado. “Para este ano, 2020, nossas expectativas são muito positivas pois estamos trabalhando em parceria com outras entidades para fortalecer o atendimento às empresas que buscam expandir seus negócios para outros países e aumentando nossa articulação para possibilitar a verticalização da indústria no Estado e dessa forma, agregar mais valor aos nossos produtos, fortalecendo ainda mais a nossa economia”, afirma Lobato.

Deixe uma resposta

+ Sobre

+ Empregos