Colégio Cívico Militar de Marabá é entregue após reforma e ampliação

Foto: Marcelo Seabra - Ag. Pará

A comunidade escolar do município de Marabá, no sudeste paraense, participou da reinauguração do Colégio Cívico Militar do Rio Tocantins (CMRIO), na sede municipal, nesta terça-feira (26). A unidade de ensino foi entregue pelo governador Helder Barbalho, após obras de reforma e ampliação, resultado da parceria entre Estado, por meio da Polícia Militar, e prefeitura local.

Com a participação da banda de fanfarra do colégio, mais de mil alunos desfilaram para as autoridades. Além do governador, estavam presentes o vice-governador Lúcio Vale; o secretário Regional de Governo do Sudeste, João Chamon Neto; o prefeito de Marabá, Sebastião Miranda, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Dilson Junior.

A professora e diretora do CMRIO, Hellen Nyde, fez questão de ressaltar ao governador o orgulho que sente pelos alunos e pela escola onde atua. “Governador, hoje temos 1.040 alunos, e nenhum evadido. O senhor sabe que o maior desafio de uma escola é a evasão escolar, e aqui o nosso índice é zero. Além disso, esse ano nós temos projeções de alcançar a nossa meta do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) que é de 5.1”, informou a diretora.

O CMRIO de Marabá mantém o trabalho pedagógico da equipe de professores e a supervisão de policiais militares, que transmitem valores baseados na ética e no respeito. O coronel Dilson Junior salientou que os PMs cumprem dupla jornada para fazer parte desse projeto. “Temos orgulho de formar, educar jovens com base em pilares fortes, como valores, hierarquia e disciplina. E de trazer pra cá uma equipe de militares que continuam trabalhando no policiamento ostensivo da cidade, e nas horas vagas e aos finais de semana fazem suas atividades aqui na escola”, ressaltou o comandante-geral da PM.

Veja também:  Pará é o estado com mais pessoas vivendo sem energia elétrica na Amazônia Legal, aponta pesquisa
Governador Helder Barbalho (d) em um dos novos laboratórios do colégio

Transformação – O governador Helder Barbalho reiterou sua crença na educação como agente transformador da sociedade, e disse que pretende levar essa experiência a outros municípios, a exemplo de Canaã dos Carajás e Parauapebas, ambos na mesma região. “Nós temos a responsabilidade de construir uma sociedade melhor, priorizando a educação, transformando cada escola em uma usina de produção de coisas boas, e levando isso para dentro de casa e para a sociedade. Eu me vejo produto disso. Estudei em escola militar pública e foi onde aprendi a ter valores corretos para a formação de um cidadão”, frisou o governador.

O Colégio Cívico Militar do Rio Tocantins, que integra a rede estadual de ensino público, funciona há 22 anos. Começou com um projeto do governo federal, e depois passou a oferecer cursos profissionalizantes, até chegar ao ensino regular do ensino médio. O espaço estava abandonado há anos. Muito deteriorado e pichado, não oferecia condições para receber alunos e professores.

A diretora da escola contou que a área era frequentemente invadida por criminosos, o que a deixava temerosa em ministrar aula no período noturno, por conta da violência. “Eu já me escondi em porta-malas de carro pra entrar aqui. Ninguém conseguia trabalhar tranquilo. Hoje eu trabalho em paz e feliz. E com a reforma, melhorou mais ainda”, disse Hellen Nyde.

“Nós recebemos a escola após uma reforma geral. Foram revitalizados todos os espaços. A reforma ficou em torno de R$ 1,8 milhão, e hoje temos todos os espaços pedagógicos, 14 salas de aula, biblioteca, sala de leitura, laboratórios de robótica e informática, quadra esportiva, laboratório multidisciplinar e uma galeria de arte”, complementou a gestora.

Veja também:  Semana de descontos garante curso superior completo pela metade do preço em Canaã dos Carajás

Estratégia – O CMRIO mantém índices satisfatórios, tanto na questão educacional, quanto na segurança, já que representa uma estratégia de prevenção primária da Polícia Militar, vinculada à Diretoria de Polícia Comunitária e de Direitos Humanos. “Ele foi pensado como um trabalho de cooperação técnica. Não é uma intervenção, nem um projeto para militarizar escolas. Um ponto importante a se destacar não é a segurança que entra na escola, não é algo externo que transforma o espaço escolar, é a escola como um todo, que se transforma em um espaço seguro. Nós somos hoje um espaço seguro, referência para toda a comunidade”, disse o coronel Leno Carmo, da Diretoria de Polícia Comunitária.

Segundo o supervisor da instituição, major Harley Pinto, de agosto até o final de novembro, os dados mostram que a violência no entorno da escola caiu 37%, e dentro da unidade foi zerada. “A escola representa um novo modelo de ensino público, possuindo 14 salas de aula e diversos espaços pedagógicos e de convivência, assim como projetos educativos, esportivos e clubes de matemática e português”, acrescentou o militar.

Para o governador, é um trabalho que beneficia toda a sociedade. “Fico feliz porque estamos cuidando da juventude, estamos tirando jovens das drogas e da violência. Aqui é uma estratégia preventiva de segurança pública, porque estamos formando vocês para construírem um futuro melhor, um projeto de vida”, ressaltou Helder Barbalho.

O governador Helder Barbalho, e demais autoridades, no momento da reinauguração do colégio

Por: Jackie Carrera / Secom

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta