Ações reduziram casos de leishmaniose e dengue em Marabá

Imagem: Prefeitura de Marabá

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A equipe de Vigilância em Saúde de Marabá está otimista com os resultados das estratégias efetivadas em 2018, que resultaram na redução de mais de 50% nos casos de leishmaniose visceral, e de quase 80% das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, como a dengue e a chikungunya.

Segundo Fernanda Miranda, diretora da vigilância em saúde do município, em 2017, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), registrou 86 casos de leishmaniose visceral, enquanto em 2018 os números caíram para 38. A gravidade da doença preocupa porque pode levar a óbito, se não tratada a tempo.

“A gente trabalha a prevenção da leishmaniose juntamente com as ações de combate ao Aedes. Apesar do período chuvoso não ser propicio, é feita orientação a população sobre os cuidados para evitar a proliferação dos vetores” ressalta Fernanda.

A leishmaniose visceral é transmitida por um inseto conhecido popularmente como mosquito palha e asa-dura. Entre os principais sintomas estão febre de longa duração, aumento do fígado e baço, perda de peso, fraqueza, redução da força muscular e anemia.

Em relação às doenças causadas pelo Aedes Aegypti, Fernanda Miranda disse que os resultados foram ainda mais animadores. Em 2018 foram mais de 80% de redução dos casos comparado a 2017. Esta semana devem ser divulgados os resultados do Levantamento do Índice Rápido do Aedes – LIRA, que está sendo realizado no município.

“Isso vai direcionar nossas atividades neste período chuvoso e fortalecer as estratégias focando nas áreas onde a incidência do mosquito está mais alta. Poderemos também alertar a população para maior prevenção e colaboração no controle das doenças”, enfatiza a diretora.

As recomendações para combater os vetores transmissores das doenças são evitar acúmulo de água, mal acondicionamento de lixo doméstico como restos de comida. E ainda manter o ambiente domiciliar limpo, além de cuidados com os animais. Ao surgir qualquer sintoma, a orientação é procurar o posto de saúde mais próximo de casa.

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta