A terra prometida de oportunidades e trabalho

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Você lê uma antiga e história da Bíblia e entende um pouco do que está acontecendo em Parauapebas .

Vá ao desfecho do Deuteronômio. Lá está: “Nunca mais surgiu em Israel profeta semelhante a Moisés, com quem o Senhor tratasse face a face”.

Veja a importância do homem: ele conversava com Deus em pessoa, se é que se pode chamar Deus de pessoa .

Mas, ainda que desfrutassem de tamanha intimidade, o Senhor não permitiu que Moisés pisasse na Terra Prometida. (…)

Nós, brasileiros e moradores de Parauapebas carregamos muitos fardos do passado como falta de saneamento basico e serviços publicos de qualidade e por estas mazelas somos marcados.

Entre tantos, temos aquele causado pela obsessão de poder e ganância de agentes externos impõe condições e cobra a conta e o governo fica aprisionado aos compromissos assumidos , que é outra espécie de servidão.

Em 5 de outubro de 1988, Ulysses Guimarães subiu à tribuna do Congresso para promulgar a Constituição escrita exatamente após o fim do governo militar.

Em seu discurso emocionado, bradou: – Nós temos ódio à ditadura! Ódio e nojo!

No fim daquele discurso, Ulysses gritou: – Muda, Brasil liberta os municípios vamos viver uma nova era de prosperidade .

Pois bem está constituição se tornou a constituição municipalista.

E seu desejo se cumpriu o que foi determinado na constituição o Brasil mudou devido aos avanços da Constituição de 1988 .

Em muitas coisas para melhor. Em outras, nem tanto.

Aquela Constituição ajudou a confundir autoridade com autoritarismo, punição com arbitrariedade , responsabilidade fiscal com arnarquia contábil.

Os brasileiros passaram a lutar acerbamente por seus direitos e esqueceram que têm deveres.

Lei de responsabilidade fiscal e probidade administrativa.

Pior: as garantias que a Constituição assegura foram (e são) usadas como privilégios pelos mais fortes, em vez de servir de proteção aos mais fracos.

Temendo a ditadura como se ela fosse os exércitos de Ramsés II, passamos esses últimos 30 anos vagando pelo deserto, aparentemente sem rumo, obtendo algumas conquistas, sim, mas sofrendo mais do que usufruindo das nossas riquezas .

Precisávamos desse tempo para nos limpar desse mal, como o povo de Moisés se limpou da escravidão.

Olhe para os novos números de arrecadação do CFEM do Brasil São números recordes de arrecadação que praticamente não sentiram o amnanizar do trauma da crise de outros milhares municípios brasileiros.

Eles sabem que o Brasil mudou com a constituição de 1988 nas a escravidão e dependência do FPM continua e o toma lá dá cá continua como antes na época dos coronéis , situação mudou,? que o mundo mudou, e que o que era tolerado antes não pode ser tolerado agora.

Mas o mais alvissareiro é que a mudança começou de baixo para cima.

Pelos funcionários públicos de carreira. Pelos jovens , mulheres e os mais necessitados . O Judiciário já experimentou esses novos ares e o MP juntamente com os conselhos estão mais atuantes .

Que logo bafejarão os eleitos e cobrará a conta da omissão.

Todos sabem que não e com promessas que farão novas oportunidades e melhores cenários de crescimento e investimentos na região .

Porque um dia com a dependência externa a receita que não esta sobre nosso controle pode voltar a cair e o município pode ficar em uma situação incontrolável devido sua folha de pagamento está acima do limite prudencial .

E sua capacidade de honrar compromisso fica comprometida .

Inchar a maquina publica e comprometimento das receitas do municipio com projetos com financiamento de fontes de recursos rxternos ê muito perigoso .

Sendo está estratégia o único alento para compensar as perdas de emprego na terra comprometida de oportunidades e trabalho.

O Brasil está se transformando a sociedade de Parauapebas também o êxodo migratório está estabilizando ..

E quem sabe?,

Um dia pisar na oportunidade Prometida !

Deus no comando.

Boa tarde .

WJN

Uma resposta em “A terra prometida de oportunidades e trabalho”

Deixe uma resposta

Leia mais