A barra subiu, a mente se abriu e apenas o índio falou…

Wander José

A barra subiu, a mente se abriu, o mundo mudou, tudo se transformando e você se transformou. Por mais que você se negue a pensar nisto, não é apenas o mundo que mudou, você também está completamente mudado, por isto não tema nenhum desafio de mudança.

Aos mais ousados sempre será reservado o espaço nos palcos, mas caberá sempre aos indivíduos ‘comuns’ a performance definitiva.

Não se preocupe em ser o que não é, e não se preocupe com os parecem ser o que não são.
Tenha foco em sua capacidade de realização, você é sem dúvida um agente de mudança e membro ativo deste momento de transformação, o espaço para todos os comportamentos e todas as competências está mais do que reservado, e não é por decreto, é por bom senso e principalmente porque as mudanças de valor só serão produzidas no ambiente e no pensamento diverso.

É preciso que todos os valores, todas ideias, todos os conflitos, dúvidas e incertezas, medos, toda sabedoria venham à mesa fazer parte deste momento com a profundamento do debate e audiências públicas para o pequeno empreendedores na mineração serão utilizadas para o desenvolvimento da região focando a capacidade e de trabalho participativo e com presença do estado brasileiro para apoiar e resgatar o desenvolvimento da região com geração de empregos e renda na região Legalização das operações existentes e proteção das comunidades vizinhas .

Não cabe ter a fala interrompida não vale o risco… Ouse !

Não ouse ter medo de debater !

A causa do pequeno minerador e suas cooperativas na mineração é coisa muito séria.
É uma política de estado voltada para sustentabilidade econômica e social Defesa das pequenas mineradoras e cooperativas na mineração.

A pauta que não foi debatida na audiência pública infelizmente as pessoas não foram chamadas para sugerir e enriquecer o debate devido ao ativismo político.

Pauta:

Democracia e justiça social na exploração mineral.

Existe espaço para todos este é o grande desafio de implantar o projeto da pequenas mineradoras e cooperativas na mineração na região de Carajás.

Legalização das operações existentes.
Geração de empregos e renda na região.
Recuperação de áreas degradadas.
Inclusão económica e justiça social.

Negociações dos pequenos mineradores e suas cooperativas na mineração.
Elaborei a pauta para apresentação infelizmente devido ao ativismo político não proporcionaram apresentação para o debate .

Sugestões a ser apresentada para discussão como alternativas para solução dos problemas que hoje afringem toda a nossa região começando pelos conflitos de interesses defesa dos pequenos mineradores e suas cooperativas na mineração .

Questões prioritárias:

1 – Gestão fundiária.
2 – Licenciamento ambiental
3 – Legalização das operações existentes.

4- Recuperação de áreas degradadas.

5 – Recuperação das pilhas de estéril e bacias de rejeito.

6 – Continuidade das operações existentes com prazo de legalização determinado e um programa especial de licenciamento .

7 – Declaração de responsabilidade legalização e licenciamento.

8 – Guia de utilização.

9 – linha de crédito para recuperação das áreas degradadas e legalização das operações existentes.

10 – Assistência técnica e apoio ao pequeno minerador e as cooperativas .

Outras sugestões apresentadas e em discussão :

1 – Infraestrutura e vias de acesso.

2 – Financiamento com periódo de carência para atualização tecnológica e verticalização da produção.

3 – Logística e pátios de estocagem e manuseio de minérios .

4- Apoio operacional.

Estas são questões complementares cujo desenvolvimento e implantação está dependente dos avanços nas questões prioritárias levantadas .

Critério para definir prioridades:
Necessidade
Urgência
Abrangência.
Período de curto , médio e longo prazo.
Contamos com a colaboração de todos .

RACs – Requisitos de Atividades Críticas

1- Regularização fundiária.
2- Recuperação de áreas degradadas pela atividade mineraria.
3- Licenciamento e regularização das operações existentes .

O objetivo em se desenvolver os Requisitos de Atividades Críticas é de se estabelecer limites de responsabilidades do empreendedores e cooperativas na mineração e cumprir as exigências para a execução das operações minerarias existentes e futuras com proteção do meio ambiente e das comunidades vizinhas .

Gestão da atividades críticas como pre requisito básico para pequeno minerador associado ao propósito de recuperar as áreas degradadas pela atividade mineraria em regime de lavra garimpeira e preservando o meio ambiente e melhoria na vida das pessoas, assegurando inclusão econômica e social, sua integridade física e protegendo sua saúde.

​Esta proposta deverá ser adotada em qualquer empresa envolvida com atividade de extração mineral , uma vez que sua atividade seja compatível com a legislação mineral e ambiental vigente . Pode ser aplicado em todas as áreas das pequenas empresa, envolvendo todos funcionários da companhia.

Os seguintes tópicos podem ser abordados nos requisitos:

Regulamentação fundiária.
Recuperação de áreas degradadas pela atividade mineraria.

Trabalhos em regime de lavra garimpeira.

Desenvolvimento e implantação de operações de pequeno porte com regime de licenciamento ambiental e legalizar suas operações customizadas .

Equipamentos e escala de produção

Sinalização e Bloqueio de áreas oneradas ;

Movimentação de Cargas;

Espaços para manuseio de rejeitos , pilhas de estéril e bacias de rejeito na mineração ;

Proteção de mananciais e recursos naturais ;

Proteção em Taludes;

Produtos Químicos combustíveis e Perigosos;

Instalações Elétricas;

Transporte e manuseio de minérios e rejeitos.

Guia de utilização.

Desembaraço aduaneiro. .

Este requisitos atendem as necessidades e as expectativas dos pequenos mineradores e suas cooperativas na mineração na região de Carajás com abrangência em todo território nacional.

Vamos adiante .
Deus no comando.

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta