Controles de preço dos combustíveis não irá funcionar, explica Sachsida


Eu fui um dos primeiros, talvez o primeiro, a alertar que as políticas de Dilma nos jogariam de volta aos anos 1980. Mas nem eu imaginava que até o controle de preços iria voltar. Decisão do governo Temer é tecnicamente errada.

O governo se desdobrou mas conseguiu reduzir o preço do óleo diesel em 46 centavos por litro. Infelizmente para o governo isso não implica que o preço do diesel será reduzido em 46 centavos na bomba de combustível. Alunos do primeiro ano de economia aprendem que tais reduções dependem das elasticidades das curvas de oferta e demanda. Se você viveu nos anos 1980 basta lembrar do Plano Cruzado ou do Plano Bresser, ambos tentaram mecanismos de controle de preços, ambos foram tremendos fracassos.

O preço dos combustíveis no Brasil é livre, exatamente por isso o preço varia de posto para posto. Mas o governo insiste em dizer que ocorrerá redução de 46 centavos nas bombas, para tanto ameaça com fiscalização e multas. Os técnicos do governo sabem tão bem quanto eu que isso é impossível de ser fiscalizado. Afinal, você teria que saber qual o preço do diesel em cada posto ANTES dessa medida. Em resumo, o governo teria que fiscalizar posto a posto para garantir que o mesmo reduziu em 46 centavos o preço na bomba. Em outras palavras, o governo quer fixar o preço do diesel em cada posto.

Sejamos francos: nem o mais pessimista entre nós poderia imaginar que o governo Temer ressuscitaria os fiscais do Sarney. O melhor mesmo é o governo fingir que nunca disse isso e deixar o preço do diesel flutuar normalmente nos postos.

COMENTAR COM FACEBOOK