Primeira mulher no Pará opera o trem de cargas em viagem na ferrovia Carajás

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Michele Lima é atualmente a única maquinista de viagem na Estrada de Ferro Carajás operando um trem de carga, veículo com mais de 3,3 km de extensão. Crédito: Ivaldo Chavito

Esta semana, no dia 20, foi comemorado o Dia do Maquinista. Uma profissão que há mais de 160 anos, transporta cargas e passageiros por meio das ferrovias brasileiras. No Pará, a marabaense Michele Lima comemora, nesse período festivo, sua primeira viagem operando um trem de cargas entre cidades na ferrovia Carajás operada pela Vale no Pará e Maranhão. Hoje ela é a única maquinista mulher na EFC no comando desse veículo em deslocamentos intermunicipais.

“Entrei na Vale em 2005 como oficial de pátio, passei para maquinista de pátio e hoje tive o privilégio de ser a primeira mulher a conduzir um dos maiores trens do mundo no Pará”, comemora Michele..

Segundo Michele, operar um veículo com dimensão quilométrica (são mais de 3,3 km de extensão), pode parecer muito desafiador, considerando ainda o fato de ser uma profissão predominantemente masculina, mas não foi para ela. “Foi como andar de bicicleta, depois que você aprende a primeira vez, você vai longe”, conta ela sorrindo.

O trem é considerado um dos meios de transporte mais seguros e mais ecologicamente corretos. A Estrada de Ferro Vitória a Minas e a Estrada de Ferro Carajás (EFC) ambas administradas pela Vale foram consideradas pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), as ferrovias mais seguras no Brasil no último ano. Ambas atuam no transporte de minério e de cargas em geral como soja e milho.

  Mineradora Vale inova ao produzir areia sustentável que reduz a geração de rejeitos

Sobre o dia do maquinista

A data foi instituída em 2012, pelo Decreto de Lei nº 12.621 em homenagem à fundação da Associação dos Maquinistas e Ferroviários de São Paulo inaugurada em 20 de outubro de 1907. A primeira ferrovia do Brasil foi inaugurada em 1854 com 14,5 km ao fundo da baía da Guanabara, atualmente município de Magé no Rio de Janeiro.

8 respostas em “Primeira mulher no Pará opera o trem de cargas em viagem na ferrovia Carajás”

Marabaense, diferente de maraense, mas parabéns pra Michelle mostrando que o lugar da mulher é onde ela quizer, e independente de ser marabaense, maranhense, o importante é correr atrás do sucesso.. parabéns a todas…

Parabéns Michelle… um prazer ter trabalhado com vc no passado.. muito dedicada e admirada por tds.. na brita se o peão for mole kkk vc colocava no bolso..

Aplausos para Michele, e para todas nós mulheres porque a cada dia estámos nos superando, operar um trem com essa dimensão não é pra qualquer uma, tem que ser a Mulher mesmo mas uma vez parabéns por nos mostrar que somos capaz de vencer qualquer obstáculos!

Trabalhei n pátio Vale em MBA e vi de perto as dificuldades enfrentadas por turmas em formação de máquinas inclusive da Michelle na época parabéns!

Parabéns, essa dica e de um maquinista aposentado. Tenha muita coragem e muita força de espírito e nunca desista, esse e teu lugar. E que Deus esteja sempre ao teu lado.

Parabéns Michele,mas tive o prazer de trabalhar com a primeira Maranhense a ser Mecânica de trens e posteriormente a primeira Maquinista da EFC,a minha querida amiga Ana Tereza, teté vc é e será sempre lembrada,um grande abraço do seu Amigo de profissão César Roberto.

Deixe uma resposta

Leia mais