Mineradora Hydro irá investir cerca de R$ 1 milhão em pesquisa para uso de painéis solares flutuantes em mina de bauxita

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
O investimento inicial no projeto é de cerca de R$ 1 milhão e a pesquisa tem duração de dois anos.

Em um cenário em que a busca por fontes de energia renovável tem sido fator decisivo para operações mais limpas e sustentáveis, a Hydro dá um importante passo neste sentido e acaba de firmar uma parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA) para a realização de estudos sobre o uso de placas solares na sua mina de bauxita em Paragominas (PA). A universidade irá realizar testes com um sistema fotovoltaico flutuante no reservatório de água da Hydro Paragominas. Um dos objetivos principais é possibilitar a redução da evaporação da água dos reservatórios da planta, além de oferecer uma nova fonte de energia capaz de atender parte do consumo próprio da mina. O investimento inicial no projeto é de cerca de R$ 1 milhão e a pesquisa tem duração de dois anos.

O projeto auxilia no reaproveitamento de água, eliminando a necessidade de usar água nova na operação. Como as placas flutuariam nos reservatórios, a taxa de perdas por evaporação é reduzida, aproveitando assim a maior quantidade de água possível nas operações. O uso de sistemas fotovoltaicos flutuantes é inovador e tem mostrado que consegue produzir mais energia que o convencional pelo fato de manter as temperaturas das placas mais amenas. A expectativa é que cada quilômetro com o sistema fotovoltaico instalado gere 50MW. Na fase de testes, uma área de 156m² será usada para avaliação preliminar. Se a pesquisa comprovar a eficiência do processo, a Mineração Paragominas tem o potencial de expandir a área coberta no futuro, gerando mais energia proporcionalmente.

“Essa pesquisa está alinhada com o objetivo da Hydro de ser cada vez mais sustentável. Se os resultados forem positivos, poderemos economizar ainda mais água em nossos processos e fornecer uma alternativa de energia renovável para nossas operações. É um benefício para a companhia e para a conservação do meio ambiente. Temos o compromisso de estar sempre inovando em busca de processos produtivos mais sustentáveis e a UFPA tem sido uma parceira importante neste objetivo”, afirma Evilmar Fonseca, diretor industrial da Hydro Paragominas.

“A oportunidade de preservar um recurso natural fundamental para os seus processos industriais, que é a água, por meio de um sistema de geração renovável, que é a tecnologia solar fotovoltaica, coloca a Hydro em uma posição de destaque no cenário das aplicações sustentáveis e economicamente viáveis”, ressalta o coordenador da pesquisa, Wilson Negrão Macêdo.

Para a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPA, Iracilda Sampaio, “a sustentabilidade é um conceito muito demandado no mundo moderno e, neste contexto, a produção de energia renovável, energia que não polui o meio ambiente, é um anseio de toda a sociedade. A UFPA possui em seu quadro equipes de pesquisa competentes no campo da energia sustentável e essa parceria da UFPA com a Hydro, usando painéis solares para produção de energia, é muito oportuna no momento. Vivemos em uma região rica em sol e em água e temos todas as condições de avançar nesta área de pesquisa, em uma parceria importante universidade-empresa. Nossas expectativas são muito grandes quanto ao sucesso desse empreendimento”.

Convênio já conta com outras três pesquisas

A Hydro já anunciou três projetos de pesquisa com a UFPA, nas áreas de utilização de resíduos e rejeitos. O investimento em pesquisas faz parte da estratégia de sustentabilidade da Hydro. Em 2020, a companhia anunciou duas pesquisas que já estão em andamento, sendo a produção de cimento e de agregado sintético, ambas com o resíduo oriundo do refino da bauxita, o qual é gerado na Alunorte, que fica em Barcarena.  Nesse ano, foi anunciada outra pesquisa, que irá estudar a viabilidade do uso do rejeito do minério da mina de bauxita da Hydro para a produção de telhas, tijolos, materiais refratários, cimento de baixo carbono e até um plástico biodegradável.

Os três projetos integram o convênio de cooperação técnica e científica entre a Hydro e a Universidade, iniciado em 2019, para a realização de diversas linhas de pesquisa, que possibilitem consolidar o desenvolvimento do estado do Pará.

Deixe uma resposta

Leia mais