Hydro avança com nova prática sustentável para eliminar uso de barragens permanentes em Paragominas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Após a secagem em depósito temporário por 60 dias, os rejeitos de bauxita são devolvidos às áreas mineradas. (Foto: Divulgacão / Hydro)

O projeto da Hydro é pioneiro no setor e está em teste desde julho de 2019, na Mineração Paragominas. A metodologia elimina a necessidade de construção contínua de novas barragens permanentes de rejeitos ou mesmo a necessidade de alteamento das estruturas existentes por meio da aplicação da metodologia conhecida como “Tailing Dry Backfill, que realiza a disposição definitiva de rejeitos secos inertes em áreas já mineradas.  

Hydro investiu cerca de R$ 30 milhões nesta etapa de testes, que está sendo realizada com acompanhamento e monitoramento permanente dos órgãos ambientais e seguindo as normas técnicas do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). A aplicação dessa metodologia no Brasil representa o fim do uso de grandes barragens para armazenamento permanente de rejeitos de bauxita – um importante passo em termos de sustentabilidade na indústria, trazendo mais segurança operacional e um avanço significativo para a redução da pegada ambiental da Hydro.   

“A Hydro está comprometida a impulsionar a sustentabilidade na indústria do alumínio. Esse desafio direcionou nossos esforços para buscar práticas que podem eliminar a necessidade de criação de novas barragens de armazenamento permanente de rejeitos na mineração de bauxita”, afirma John Thuestad, vice-presidente executivo da Hydro.   

O teste será concluído ainda este ano e a implementação em escala poderá começar no final de 2020, após a aprovação da licença de operação pela SEMAS (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará). 

 

Deixe uma resposta

Leia mais