Exportações de minérios pelo Brasil devem crescer 2,5% em 2018 para 410 mi t, diz Ibram


Mina de minério de ferro da Vale

As exportações de minérios pelo Brasil devem crescer 2,5 por cento neste ano, ante 2017, para 410 milhões de toneladas, em meio a uma expectativa de aumento de investimentos no setor, segundo projeções do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), que representa mineradoras responsáveis por 90 por cento da produção mineral do país.

A expansão nas vendas externas ocorre diante do crescimento das atividades da mineradora Vale, maior produtora e exportadora global de minério de ferro e uma das principais do setor de níquel, que vem registrando diversos recordes de extração.

O montante de minérios vendido em 2018 pelo Brasil deverá representar 30 bilhões de dólares, em comparação com 28,37 bilhões de dólares no ano passado, apontou o instituto, em nota enviada à Reuters nesta sexta-feira.

As exportações de minério de ferro do país, entretanto, ficaram estáveis no primeiro semestre do ano, ante o mesmo período do ano passado, em cerca de 184,34 milhões de toneladas, segundo o Ibram.

As exportações de cobre, por sua vez, atingiram 581 mil toneladas entre janeiro e junho de 2018, alta de cerca de 4 por cento ante igual período em 2017.

Já as vendas externas de ouro cresceram 40 por cento no primeiro semestre ante o mesmo período de 2017, para 55,5 toneladas.

INVESTIMENTOS

O Ibram também elevou as previsões de investimentos em mineração no país para 19,5 bilhões de dólares entre 2018 e 2022. O montante é 8 por cento superior ao previsto para o período 2017-2021, de 18 bilhões de dólares.

“É um dos maiores volumes de investimentos privados a serem realizados no Brasil em cinco anos”, disse o diretor-presidente do Ibram, Walter Alvarenga, em nota.

Os dados foram apresentados nesta sexta-feira no Congresso Brasileiro de Minas a Céu Aberto e Minas Subterrâneas (CBMINA), na UFMG, em Belo Horizonte (MG).

Nas próximas projeções, a expectativa no Ibram é que o valor dos aportes em cinco anos seja ainda mais elevado, considerando reformas regulatórias em curso pelo governo federal que poderão gerar maior segurança jurídica para atrair investimentos.

Em 2018, o número de empregados diretos no setor de mineração subiu para 183.088 em junho, ante 180.969 em 2017.

Por Marta Nogueira

COMENTAR COM FACEBOOK