A volta do minério de ferro: novas altas levam o preço da tonelada

U$ 60 / tonelada.

Em dezembro de 2015 a tonelada do minério de ferro com 62% Fe atingiu o fundo do poço e foi negociada a US$39,60.

Foi quando os “grandes” analistas de plantão fizeram suas previsões catastróficas.

Quase todos concordavam que a tonelada permaneceria em torno dos US$30. Outros, menos catastrofistas, como o próprio Governo da Austrália, apostavam em preços ao redor dos US$40.

O Portal do Geólogo previu, no início de 2016 a subida dos preços, em decorrência do fortalecimento das grandes produtoras.

Mas, quase mais ninguém previu o que realmente aconteceu: o minério de ferro subiu para US$59/t em apenas três meses…

Mesmo após a subida extraordinária de 7 de março, quando o preço da tonelada decolou 20%, o Goldman Sachs ainda previa um retorno aos US$35/t…

Hoje temos aumento real de 49% que literalmente está reacendendo as mineradoras de minério de ferro em todos os continentes.

Como sempre, por trás de uma notícia deste porte está a China.

O gigante asiático não estava morrendo, ao contrário de que muitos pregavam, estava apenas tirando uma soneca…

A alta de hoje se deve aos ganhos futuros no mercado asiático e aos preços das casas novas na China que aumentaram em 47 cidades somente em fevereiro, depois de um aumento significativo que havia sido percebido em 38 grandes cidades em janeiro. Com esses aumentos foi revertido um processo de queda de preços que assolou a China durante dois anos. É mais um sinal evidente da recuperação econômica da China, que não está passando despercebido pelos mercados.

A infraestrutura e a construção civil consomem sozinhas, mais de 50% de todo o aço produzido na China.

Será que veremos o retorno das minas e projetos que fecharam? A resposta continua a mesma: quem tem custo operacional baixíssimo, próximo dos US$15/t vai continuar a sorrir.

Leia mais: Colunado do Wander

Deixe uma resposta