Cotação do dólar nesta segunda –feira (5) no Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Veja a cotação do dólar diariamente no Portal Canaã. E hoje 5 de fevereiro de 2018 vamos está constantemente em busca de oferecer aos nossos leitores o valor exato da moeda. Quer ficar atualizado? Então! Atualize a página e acompanhe.

Por volta de 10h30, a moeda norte-americana subia 0,61%, vendida a R$ 3,2346

Dólar comercial e Dólar turismo

O dólar comercial é considerado o valor que o mercado financeiro estabelece para transações de comércio exterior e movimentações financeiras feitas por empresas como importações e exportações. Já o dólar turismo como o próprio nome já indica que  é a cotação utilizada pelas casas de câmbio nas operações de compra ou venda de dólares quando as pessoas vão viajar. Ele é baseado na taxa do dólar comercial porém inclui alguns custos como: importação, logística, estoque. E por isso ele é sempre mais caro que o dólar comercial.

Sobre o Dólar

O dólar dos Estados Unidos (em inglês: United States dollar) ou dólar estadunidense (em inglês: American dollar) é a moeda emitida pelos Estados Unidos e utilizada no mundo inteiro, tanto em reservas internacionais como em livre circulação em alguns países. Atualmente, a sua expedição é controlada pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

O dólar dos Estados Unidos é dividido em 100 cêntimos ou então em 10 dimes, mas este último é usado hoje em dia somente para designar a moeda de 10 cents. Moedas e notas de um dólar existem simultaneamente, embora notas sejam encontradas mais facilmente. Denominações menores que um dólar são emitidas em moedas, enquanto que as que o superam são emitidas em notas da Reserva Federal (Federal Reserve).

Dólar na economia

Nas décadas de 1980 e 1990, muitos economistas viam, com grande simpatia, a dolarização da economia brasileira como forma de romper o círculo vicioso da inflação, que, na época, já podia ser considerada hiperinflação. Adotando o dólar como lastro para a moeda nacional, o Brasil poderia se ver livre do tão terrível dragão inflacionário. Outros economistas tinham receio na adoção dessa solução, principalmente quando viram a Argentina sofrer com a incapacidade de pagamento, resultando no abandono desse sistema.

Alguns dizem que o Plano Real foi, por um breve período, um tipo de dolarização da economia brasileira, visto que a URV — Unidade Real de Valor —, tinha, mais ou menos, o mesmo valor de 1 dólar. Após a desvalorização do real em 1999, houve o descolamento da moeda estadunidense, com a adoção do câmbio flutuante.

Dólares dos Estados Unidos

Em 1995, mais de 380 bilhões de dólares dos Estados Unidos estavam em circulação, dois terços disso fora dos EUA. Em abril de 2004, aproximadamente 700 bilhões estavam em circulação, com uma estimativa de metade de dois terços dele fora dos EUA.

Os Estados Unidos são um dos vários países que usam a moeda dólar. Vários países usam o dólar dos Estados Unidos como sua moeda oficial, e muitos outros permitem que ela seja usada de facto.

Notas

Notas acima de US$ 100 eram produzidas antigamente, porém a produção parou em 1946 e foram retiradas de circulação em 1969. Estas notas eram usadas em transações entre bancos ou pelo crime organizado; foi o uso ilícito que fez com que o presidente Richard Nixonmandasse uma ordem executiva em 1969 proibindo seu uso. Com o advento das transações eletrônicas, as notas tornaram-se desnecessárias. As notas com valor acima de US$ 100 eram as de US$ 500, US$ 1.000, US$ 5.000, US$ 10.000 e US$ 100.000.

Recentemente foram lançadas novas notas de US$ 10 a US$ 100, com projeto gráfico diferenciado, entretanto, as antigas continuam valendo, devendo ser retiradas de circulação conforme forem se desgastando.

Até 1944, quando ocorreu a Conferência de Bretton Woods, era difícil determinar o valor do dólar em comparação ao de outras unidades monetárias, sendo a dificuldade ainda maior com os fortes abalos causados pela Segunda Guerra Mundial. Geralmente as cotações se baseavam nas reservas em ouro dos países, por ser o ouro um parâmetro universal. A esta altura os EUA já eram a maior potência mundial, por isso tentou-se estabelecer um padrão em que o grama de ouro teria um valor fixo em dólares.

O sistema durou até o início da década de 1970, quando o dólar já estava seriamente desvalorizado em relação ao valor acordado originalmente. Em 1971, o dólar deixou de ser diretamente conversível em ouro e, graças aos avanços tecnológicos que permitem negociações rápidas e em grandes volumes, surgiu o câmbio flutuante englobando vários pares de moedas. Foi assim que nasceu o Forex.

 

Os comentários estão desativados.

Leia mais