Linchamento virtual: Ninguém pode ter mais opinião formada


Foto: Reprodução/Arquivo

Está cada vez mais difícil desconstruir o velho e construir o novo. Tudo é virou ofensas. Ninguém pode ter mais opinião formada. Quando se diz do partido A, logo é nazista, se declarar do partido B, logo é Marxista. Até as piadas sofreram severas censuras. O politicamente correto deu lugar a chatice. Os padrões de conservadorismo extremo, tornaram-se uma espécie de leis divinas. Mas o politicamente correto é mesmo correto? O pobre é tratado de maneira vergonhosa em nosso país. Vou citar apenas um exemplo que vi com meus próprios olhos: policiais que cobravam propina para casas de prostituição funcionar normalmente, com garotas de programas menores de idade e nada acontecia. O politicamente incorreto não aparece com a cara que deveria ter.

Outro dia alguém disse que um político de Brasília, deveria ser aplaudido de pé, pois o mesmo se dizia ser um cara honesto. Onde já se viu isso? Ser honesto não é virtude, é dever. Infelizmente a corrupção no nosso país faz com que as pessoas vejam a honestidade como a grande virtude do momento. Ela não deve ser pregada assim, principalmente quando se trata dos cargos públicos. É preciso mudar esse cenário. Não é fácil, contudo é necessário para progredirmos.

Nunca tivemos tanta liberdade de expressão como se tem hoje, contudo junto à essa liberdade veio a agressão, e é de se impressionar. Quando alguém emite uma opinião na internet, logo aparecem aqueles de quem o escritor Umberto Eco mencionava: os imbecis. A internet foi a coisa mais democrática que já nos aconteceu, porém deu voz à uma legião de imbecis, que opinam em tudo sem ter uma base mínima de conhecimento, sobre os importantes assuntos contemporâneo. Tudo vira tema, palco de discussão e discórdia. Se alguém publica em sua timeline afirmando que é um negro, em pouco tempo aparece meia dúzia o tachando de vítima, que é só mais um que tá querendo aparecer.

Não faz muito tempo que quase fui linchado, quando falei do ladrão tatuado, do Pabllo Vittar, da música da Anita. Os comentários foram tão aterrorizantes que nem cogitava a possibilidade de sair de casa, com medo de cruzar com um desses agressores na rua. A internet não muda a nossa essência humana, também não nos torna mais insensíveis e bárbaros, mas permite que expressemos o ódio em maior escala.

Por. Kerley Carvalhedo

COMENTAR COM FACEBOOK