Manaia comenta álbum Na Borda: “luta comigo mesma” – Portal Canaã

Manaia comenta álbum Na Borda: “luta comigo mesma”

Ela vai te surpreender, te emocionar, te encantar. Manaia, cantora, compositora e multi-instrumentista carioca, se mostra nua e crua em seu álbum de estreia, “Na Borda”, com nove composições inéditas. Intensa e ao mesmo tempo delicada, Manaia representa a jovem de hoje, cheia de emoções e expectativas quanto a esta vida bela e louca do século 21.

Com um estilo vocal intrigante e voz especialmente sedutora, ela apresenta suas composições emocionais – a maioria com forte pegada pop rock – e personalidade forte, encontrando abrigo no significado de seu nome artístico, Manaia, um anjo-guardião ancestral, que equilibra o céu (espiritualidade), a terra (o ser) e o mar (as emoções).

Manaia começou a cantar e estudar piano ainda criança, fez faculdade de Design nos EUA com uma bolsa de estudos que conquistou com suas notas e portfólio de arte, e depois e se aprimorou em Técnica Vocal na Berklee College of Music, em Boston. Só para se ter uma ideia de sua qualidade, Manaia ficou entre os quatro finalistas do concurso American Idol Tour, nos EUA, onde desbancou mais de 3500 concorrentes.

Como foi o seu primeiro contato com a música?

Meu primeiro contato acho que veio de outras vidas rsrsrs. Eu não lembro de muita coisa até os meus 5 anos, mas com seis já estava aprendendo piano.

Qual foi sua inspiração para produzir o álbum “Na Borda”?

Minha inspiração é a minha luta comigo mesma, aprender a me entender, me deixar sentir, me deixar viver, e ajudar os outros que também dividem a mesma jornada. Inspirações musicais têm Evanescence, Linkin Park, Bon Jovi, Lorde, Lana Del Rey, Pink, Katy Perry, Adele, Lenine, Ana Carolina, Adriana Calcanhoto ….

Com uma voz intrigante e levemente sedutora, como você definiria seu estilo musical?

Não tento me definir, digo que sou pop rock alternativo para poder abraçar diversos estilos, mas tem gente que me acha indie. Se tiver que me colocar uma etiqueta, eu prefiro a do pop porque sou eclética, mas não necessariamente me define.

De onde veio o nome artístico Manaia?

O nome Manaia veio da tribo Maori na Nova Zelândia. Eu busquei um nome que tivesse alguma simbologia com uma pedra verde, já que verde é o chacra da garganta. A tribo usava a pedra Jade, e a simbologia de um anjo guardião, e eu me identifiquei bastante. Manaia tem cabeça de pássaro, ou seja, o céu e a espiritualidade, tem corpo de homem, nesse caso a matéria, a carne e o ser, e tem cauda de peixe, que representa a profundidade e a emoção.

Conte-nos um pouco sobre sua experiência trabalhando com a Una Criativo?

São rosas, mas as vezes tem esses espinhos do mercado musical (rs). Eles tentam a máximo trabalhar com a minha criatividade, entender quem eu sou e o que eles podem fazer para abraçar as oportunidades, me escutam bastante para trabalharem em ideias e projetos que me definam, e nós desenvolvemos uma grande amizade. Podem me ligar até na madrugada que está tudo certo.. (rs)

Sobre as suas composições, como funciona o seu processo de criação?

Putz, como explicar isso de um jeito simples. Existem três formas de compor música. A primeira é você escrever palavras, poesias e no final organiza-las em partes e depois criar uma melodia em cima. Nessa eu preciso estar inspirada por acontecimentos presentes ou que fazem remexer o passado, seja vendo filmes ou séries. A segunda é fazendo toda progressão de acordes antes, afim de criar um chão, tipo uma base, colocar uma batida, e depois inventar uma letra. Nessa eu olho para uma foto artística que representa o som que eu escuto, aqui rola bastante sinestesia. E a terceira é sair cantando uma melodia e uma letra ao mesmo tempo, fazendo as 2 juntas. Essa parece um raio quando cai na cabeça, é puff, e vem inspiração. Geralmente quando faço muito música seguida, vem uma assim, pronta já. Deu para entender?

Quais são suas maiores influências na música?

Eu sempre tive um ouvido para o rock da Evanescence e do Linkin Park, Bon Jovi, Pink, mas eu também gosto do pop da Britney, Katy Perry, Taylor Swift. Gosto muito da voz da Sia, e me inspiro nela vocalmente, além de Adele. Atualmente, tenho escutado Ariana Grande para trabalhar em técnicas vocais. Gosto da vibe dark da Lana Del Rey e da Halsey, e também de uma vibe mais cool de Maroon 5 e Coldplay. Fiz parte de corais então peguei um gosto pelas músicas antigas do Johnny Mercer. Cresci na base de Sandy&Júnior e Kid Abelha, ou seja, eu tenho grandes influências mas e todas deixaram sua marca.

Deixe uma mensagem.

Viva, sinta, ame, chore, dance e deixa a luz do sol fazer barulho.