Prefeitura de Canaã garante que UTI para técnico de enfermagem foi liberada em Belém

Familiares dizem que o mesmo está em leito comum e busca transferir para rede privada
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Divulgação/ Sespa

O caso de técnico em enfermagem infectado com o Covid-19, Laugenir Silva, de Canaã dos Carajás, tem tomado as discussões nas redes sociais, após o agravamento da saúde e a necessidade de uma Unidade de Terapia Intensiva –  UTI para o servidor público.

Notícias deram conta que o servidor, apesar de estar no Hospital Abelardo Santos, de referência em Belém, não estaria na UTI solicitada pelo município e, sim, em um leito comum. Já a prefeitura afirma que, via sistema, a UTI está liberada.

O Blog do Pedro Reis, noticiou que, “o próprio Laugenir que é técnico de enfermagem, não se sente seguro durante a internação e pediu para a família que solicite um suporte para que ele possa ir para um leito de UTI em um hospital particular em Belém do Pará.” Com isso, uma mobilização foi criada para coleta de fundos para arcar com as despesas da internação de Laugenir, a popular ‘vakinha’ com o título ‘Laugenir VIVE!’

No entanto, a Prefeitura de Canaã voltou a se pronunciar através do site oficial, afirmando que a UTI foi liberada em 22 de Maio, mesma noite da solicitação e, que,  encaminhou um ofício nesta segunda-feira (25) solicitando informações clínicas do paciente por escrito.

Veja o que diz a Prefeitura:

A prefeitura de Canaã dos Carajás solicitou no último dia 22 de maio um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o técnico de Enfermagem Laugenir Silva, 44 anos, servidor do município de Canaã e paciente de Covid-19. Na noite do dia 23, foi disponibilizado o leito no Hospital Abelardo Santos, em Belém, que é uma Unidade de Referência no tratamento da Covid-19, para que ele pudesse dar sequência ao tratamento.

A prefeitura de Canaã dos Carajás solicitou no último dia 22 de maio um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o técnico de Enfermagem Laugenir Silva, 44 anos, servidor do município de Canaã e paciente de Covid-19. Na mesma noite do dia 22, foi disponibilizado o leito no Hospital Abelardo Santos, em Belém, que é uma Unidade de Referência no tratamento da Covid-19, para que ele pudesse dar sequência ao tratamento.

Segundo organizadores da Vakinha Virtual,  o hospital particular está pedindo um caução de R$ 100.000,00 (Cem Mil Reais). Até o momento, já foram arrecadados R$625. E, o município não tem legalidade para pagar o tratamento na rede particular.

Entenda

O técnico de enfermagem Laugenir deu entrada no Hospital Municipal no dia 15 de maio, e foi transferido para a Unidade de Internação de Canaã dois dias depois, mas teve a situação agravada, motivo pelo qual as equipes de saúde solicitaram, já no dia 22, sua transferência para um leito de UTI. Inicialmente, a regulação de Canaã entrou em contato com a Central de Regulação de Carajás, que informou que não havia vaga disponível de UTI no Hospital Regional de Marabá. No mesmo dia, a Central de Carajás tentou a transferência para o Hospital de Campanha de Marabá, que também tinha todos os leitos ocupados.

A partir disso, houve a tentativa de um leito em hospitais de Belém, que foi liberado no sistema. Como Canaã dos Carajás, assim como a maior parte dos municípios de pequeno e médio porte, possui saúde de baixa e média complexidade, é feito o contato com a regulação nos casos em que é necessário atendimento de alta complexidade.

Quando os pacientes necessitam de UTI, são cadastrados em dois sistemas; no sistema de regulação do Estado, ou no sistema administrado pela prefeitura de Belém, em pactuação com o município.

Deixe uma resposta

+ Sobre