Opinião | Os radares eletrônicos em Canaã dos Carajás

Por: Emílio Dami

Eu fui um daqueles que critiquei duramente a implantação de quebra-molas no ano passado, na época de sua execução. E eu critiquei muito. Eu achei uma ação completamente insensata e sem planejamento algum, afinal de contas, na rua que passo diariamente tinha e ainda tem dezenas de buracos enormes e colocaram mais uma dúzia de quebra-molas nela. Eu penso que isso foi até mesmo, alem da falta de planejamento, foi o cumulo da incompetência. E eu ainda critico até hoje toda vez que eu passo por um desses, eu me lembro do Prefeito e claro que sai um adjetivo ruim da minha boca, afinal de contas, alem de tantos buracos para estragar completamente meu carro, ele ainda coloca algo para quebrar as molas dele. Achei isso uma insanidade. Mas estou dizendo a você leitor, eu critico ainda hoje.

E a fiscalização eletrônica foi uma das saídas que eu mesmo sugeri naquela época, eu mencionei a implantação que houve na cidade de Parauapebas como exemplo, mas fui criticado também e muito pelos vários defensores do governo. Portanto, hoje eu deveria estar feliz porque o prefeito está tomando a medida correta e quem sabe, até mesmo retirar os quebra-molas no futuro e assim resolver o problema de forma definitiva. Eu até mesmo iria defender as ações do governo, todos sabem que se no lugar dos quebra-molas fossem colocados os radares eletrônicos para coibir o excesso de velocidade naquela época estaria corretíssima a ação do prefeito, mas hoje? Hoje existem ações mais importantes e prioritárias no transito inclusive, que, por exemplo, consertar as ruas esburacadas pela cidade toda, inclusive no centro.

As pessoas não estão circulando na cidade,  com o desemprego, a fome e o valor da gasolina, estão todos tentando driblar a crise sistematicamente. Estamos correndo para vencer a falta de dinheiro. Entenda a situação do ponto de vista do cidadão comum que está desempregado, sem dinheiro e por fim, com o carro na garagem, sabe qual é a pergunta que ele faz? “Que loucura é essa?” E ele tem feito nas redes sociais. As perguntas do povo não são as perguntas da oposição, são as perguntas do povo mesmo.

Eu não sou a oposição. Eu critiquei os quebra-molas e eu penso que o momento hoje é outro, hoje é preciso cuidar da saúde, da educação e da economia na cidade, precisamos fortalecer o comercio na cidade, gerar emprego para a população, gerar renda para a cidade, certamente, não é o momento para implantar ações que geram aumento de receita, tais ações contribuem para que a receita diminua, observe que eu poderia estar até mesmo defendendo a implementação de tal ação se, e somente se, a cidade estivesse bem, o comercio estivesse vendendo, o pessoal empregado, as câmeras de monitoramento já instaladas e a pudéssemos contar com o mínimo de segurança, mas não nesse estado de caos que a cidade se encontra hoje. Apenas isso. Entendam, se o comercio melhorar, se as pessoas tiverem empregos e se o dinheiro estiver circulando, a arrecadação aumenta.

Eu sou Emílio Dami e por hoje é só.

Retomaremos em breve…


Para falar comigo utilize meu whatsapp: – TIM 94-98176-8882

Ou envie email para emiliodami@gmail.com

Emílio Dami – 05/08/201

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta