Júnior Garra fala sobre sua prisão e diz “não ter vergonha da covardia”

O vereador acusou um grupo de comunicação por perseguição
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Vereador Junior Garra / Divulgação/CMC

O vereador Junior Garra usou a tribuna da Câmara por duas vez e, em uma delas, falou sobre sua prisão ocorrida no mês de novembro, sob acusação de compra de votos nas eleições 2016 e porte ilegal de armas.

Junior iniciou falando sobre injustiças e citando alguns jornalistas comunicadores que foram retirados de suas funções que, segundo ele, foi “covardia” e “puxada de tapetes” por conta de “ideologias partidárias e perseguição política“.

“O Grupo Correio, se não rezar a cartilha deles ajoelhado, não serve.”, enfatizou o vereador antes de comentar seu caso.

Em seguida Garra disse:

“O grupo que tiver pensando que o vereador Junior Garra se envergonha de tiver sido preso, está muito enganado. Eu vou ser a pessoa que não vai deixar a população de Canaã dos Carajás esquecer a minha prisão. A covardia que foi a minha prisão.”

Garra, acusou o grupo de ter dedicado sua programação pra cobrir sua prisão em nome de interesses particulares.

“Matéria tendenciosa, atendendo interesses particulares. Até hoje eu fico perguntando a mim mesmo, como um único, só um meio de comunicação, só o Grupo Correio ficou sabendo primeiro do que eu da minha prisão. Então, esse grupo tem interesses no nosso município. Nós sabemos que esse grupo está com ‘oião’ [olhão] em cima de Canaã.”

O Vereador ainda citou o município de Curionópolis, que segundo ele foi quebrado pelo grupo:

“Não basta terem quebrado Curionópolis por alguns anos, agora quer fazer de Canaã uma Curionópolis piorada”.

  ELEIÇÕES EM CANAÃ: Saiba o que cada candidato defende para Educação

Deixe uma resposta

Leia mais