Estudante que fez ameaça de atentado em Canaã dos Carajás, não possui histórico de comportamento agressivo

Foto: Breno Rafael

Após o susto, o Colégio Equipe de Canaã dos Carajás retomou a rotina de atividades durante esta sexta-feira, 8.
Em entrevista ao Portal Canaã, o diretor de relacionamento da unidade de ensino, Jean Rendeiro, esclareceu sobre o ocorrido e tranquilizou pais e alunos que ficaram alarmados após a ameaça de atentado feita por um dos estudantes.

“Uma situação como essa provoca um desconforto em toda a comunidade, mas precisamos seguir com a nossa rotina, mesmo porque não aconteceu absolutamente nada, tudo não passou de uma ameaça, portanto, a normalidade na escola está acontecendo”, explicou.

O ataque, segundo amigos do adolescente, estava previsto para acontecer nesta sexta-feira. De acordo com Jean, o adolescente não possui histórico de distúrbios. No entanto, a direção tomou conhecimento dos fatos e adotou todas as providências cabíveis, dentre elas, o desligamento do estudante da instituição. “De fato, foi uma ameaça, ainda que embora não exista um histórico de comportamento agressivo por parte do aluno. Nós temos uma situação muito pontual e a decisão precisa ser tomada. Somos uma comunidade escolar de aproximadamente 2.300 pessoas e nós não podemos, sob hipótese alguma, minimizar essa ameaça, nós temos que potencializar porque esse é o nosso papel, portanto, preocupados em preservar a comunidade como um todo, nós tivemos que tomar algumas decisões”, disse.

Urgente: Adolescente faz ameaça de atentado contra alunos e professores do Colégio Equipe em Canaã dos Carajás

Rendeiro explicou ainda que, embora o aluno tenha sido desligado, ele deve continuar recebendo apoio da instituição. “O aluno foi afastado das suas atividades, mas sob hipótese alguma ele vai ser prejudicado no andamento do ano letivo. Ele vai realizar suas provas, suas últimas atividades em casa com o apoio do nosso departamento de psicologia e coordenação pedagógica, esse éo papel do educador, amparar, e isso nós estamos fazendo. Nós não vamos deixa-lo desemparado. Mas também existe uma outra preocupação que talvez seja a maior de todas, que são as pessoas que estão ali no entorno, que vivem no nosso dia a dia e que estão preocupadas, então, nós tivemos que tomar uma decisão e essa [desligamento] foi a mais acertada no nosso entender”.

Aos pais que ainda encontram-se temerosos, Jean reforçou que a escola está de portas abertas para tranquiliza-los. “Mas a forma mais correta de acalmar é deixar a escola aberta para receber os pais e qualquer pessoa da comunidade e mostrar concretamente que as providências já foram tomadas e que já existe um clima de tranquilidade. Mas é claro que nós vamos tomar algumas precauções como, reforçar a segurança e ter certos cuidados e, mais do que isso, agir dentro da sala de aula, reforçando as políticas que nós já temos de incentivo a à cultura de paz”, finalizou.

COMENTE VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta