De acordo com informações dos veículos de Transparência de Canaã dos Carajás, consultados com exclusividade pelo Portal Canaã, o ano de 2018 se mostra repetir os patamares de 2017, nos três primeiros meses a ‘terra prometida’, que já comporta cerca de 36 mil habitantes, teve uma receita líquida razoável se comparando ao ano anterior.

A previsão para 2018, estabelecida na Lei Orçamentária Anual – LOA, é de R$279,3 milhões e já foram arrecadados 16% do previsto para o ano. (Obs: a LOA será alterada, após reajuste nacional no Cfem.)

Em Janeiro, o município teve um faturamento líquido de R$20,9 milhões após dedução do bruto de cerca de mil reais. Em 2017 o valor foi de R$24,3 mi.

Já em Fevereiro, a receita líquida de Canaã subiu para R$24,9 milhões após dedução de cerca de 800 mil da receita bruta. Este valor representa um resultado maior que o mesmo período de 2017 que arrecadou R$24,4 mi.

Em Março, ainda em atualização, a receita do município está apresentando um total de R$114 mil no cofres públicos no período de quinze dias.

Ao todo, Canaã dos Carajás já tem contabilizado em seu cofres um valor de R$64 milhões, contabilizando todos os encargos arrecadatórios, inclusive CFEM e o ICSS.

Janeiro: R$ 20.918.693,36

Fevereiro: R$ 24.997.899,49

Março: R$17 milhões (em atualização)

Royalties (já incluso na receita)

Janeiro: R$7.285.100,72

Fevereiro: 5.647.345,11

Março:  8.610.845,81

Abril: 11.860.884,19


A Lei do Imposto na Nota (Lei nº 12.741/12, de 8 de dezembro de 2012) nasceu com o intuito de informar ao cidadão o quanto representa a parcela dos tributos que paga a cada compra realizada. É importante lembrar que esse direito é assegurado pelo artigo 150, § 5º, da Constituição.Lei

Redação/Portal Canaã