CÔMICO: Canaã dos Carajás aumentou 23 habitantes, aponta estimativa do IBGE 2018

Centro de Canaã dos Carajás | Foto: Jorge Clésio

Surge mais um caso curioso sobre os dados estatístico de Canaã dos Carajás, após a comprovada diferença entre habitantes e eleitores. O Portal Canaã traz com exclusividade os dados demográficos do município  após análise sobre a projeção da população do Brasil divulgado pelo Ibge.

O município, que em 2017 detinha os questionáveis 36.027 habitantes, teve um crescimento de 23 pessoas de acordo a divulgação do Ibge que tem com data de referência o dia 1º de julho. Com isso, Canaã dos Carajás passa a ter, oficialmente, 36.050 habitantes.

Um dos principais fatores de questionamento, como já mencionado, é a quantidade de eleitores o que advém do inchado repentino que o município teve com as obras de implantação do projeto S11D que chegou a empregar 16 mil trabalhadores em seu pico.

A consequência disso ficou em Canaã dos Carajás, após a finalização das obra em 2017. Como divulgamos semana passada, a população do município, 16% dependem do Bolsa Família, mostrando o alto índice de pessoas de baixa renda.

Canaã passou por uma queda notória do seu tamanho demográfico, logo ficou sem oportunidades para atender toda a demanda de mão de obra e, muitas pessoas voltaram às suas terras de origem. Isso foi sentido até na demanda de alunos na rede público de ensino, onde se cogitou até extinguir o turno intermediário pela alta queda de discentes que foram embora com suas famílias, um total de 30%.

Não foi só o S11D a razão desse crescimento populacional de Canaã, o qual o IBGE sempre insiste em não ver nos dias atuais. Entre os censos de 2000 e 2010, Canaã foi o 8º município que mais cresceu populacionalmente, de acordo com o instituto. E a razão foi a implantação do projeto de cobre Sossego, que começou a operar praticamente no meio da década passada.

O levantamento do número de habitantes é de grande importância para os Municípios uma vez que serve de base para definição dos coeficientes de repasse de recursos ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Como se sabe, o repasse dos recursos aos Municípios é feito de acordo com o número de habitantes, onde são fixadas faixas populacionais, cabendo a cada uma delas um coeficiente individual.

Metodologia do IBGE

De acordo o Ibge, a metodologia adotada para estimar os contingentes populacionais dos municípios brasileiros baseia-se na relação da tendência de crescimento populacional do município, observada entre dois censos demográficos consecutivos, com a tendência de crescimento de uma área geográfica maior, as Unidades da Federação.

O método adotado tem como princípio fundamental a subdivisão de uma área maior, em n áreas menores, de tal forma que seja assegurada ao final das estimativas das áreas menores a reprodução da estimativa, previamente conhecida, da área maior através da soma das estimativas das áreas menores. As populações das Unidades da Federação são obtidas, a cada ano, da última projeção populacional disponível. Além disso, as estimativas municipais incorporam, ano a ano, remanejamento da população resultado de alterações de limite territorial que ocorrem entre os municípios. Dessa forma, a comparação histórica das estimativas anuais deve ser feita com cautela.

O IBGE publica anualmente as estimativas populacionais no Diário Oficial da União desde 1992, em cumprimento ao artigo 102 da Lei nº 8.443, de 16 de julho de 1992, para os fins previstos no inciso VI do artigo 1º da Lei nº 8.443.

Jorge Clésio / Portal Canaã