Canaã dos Carajás já recebe o dobro de Royalties que Marabá


Foto: Mineração

Minerações como Buritirama, Salobo, Sossego e S11D vem rendendo bastante aos cofres dos municípios Marabá e Canaã dos Carajás. Só em 2018 já foram R$194,4 milhões aos dois municípios.

A Contribuição Financeira pela Exploração Mineral (CFEM), popular Royalties da Mineração, são creditados com recursos da CFEM, nas respectivas Contas de Movimento Específicas do Município, no sexto dia útil, que sucede ao recolhimento por parte das empresas de mineração.

No Município de Marabá, onde estão as instalações dos projetos de Mineração Buritirama e Salobo, o maior projeto de cobre da Vale, as Mineradoras já renderam ao município uma compensação de R$61.313.824,63. Sendo que 86% deste valor é proveniente da extração de Cobre, seguido por Manganês (12%) e demais substâncias.

Já em Canaã dos Carajás, onde a Mineradora Vale mantem o projeto Sossego e o maior projeto de mineração do Mundo, o S11D, a mineração já rendeu aos cofres do município, o valor de R$133.157.629,2 em dez meses. Deste valor, 85% provém do Ferro, 14% do minério de Cobre o restante de Granito.

Do valor pago aos dois municípios, Canaã dos Carajás recebeu 68,5% do total, enquanto Marabá 31,5%.

Segundo relatório, a Vale registrou recorde de produção e vendas de minério de ferro e pelotas no terceiro trimestre, com impulso das atividades da mina S11D.

Essas receitas deverão ser aplicadas em projetos, que direta ou indiretamente revertam em prol da comunidade local, na forma de melhoria da infra-estrutura, da qualidade ambiental, da saúde e educação. E, não poderão ser aplicados em pagamento de dívida ou no quadro permanente de pessoal.


Jorge Clésio, analista de indicadores do Portal Canaã.

COMENTAR COM FACEBOOK