Pai de família é assassinado e degolado por declarar voto em Bolsonaro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Bandidos que invadiram apartamentos do Condomínio Residencial Novo Barroso, conhecido como Babilônia, localizado no bairro Passaré, na zona Sul de Fortaleza, mataram a tiros e decapitaram um morador que declarou ter votado em Jair Bolsonaro (PSL). O fato foi descoberto pela Polícia Militar na manhã desta terça-feira (30). Um dos acusados já está preso e confessou o crime quando entrava no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro de Fátima (vídeo abaixo).

https://www.youtube.com/watch?v=EXIcFsnABzc

O bandido foi identificado como Tiago da Silva Monteiro, 22 anos. Ele foi capturado por uma patrulha da Força Tática da PM chamada para atender à ocorrência. Ele confessou aos policiais militares que o prenderam na manhã de hoje que o motivo do crime foi a vítima ter votado em Bolsonaro.

Eleição comprova que “virada” de Haddad em São Paulo era uma farsa

O eleitor teria sido tirado de casa e assassinado a tiros, na noite desta segunda-feira (29). Em seguida, teve a cabeça arrancada a golpes de facção. O corpo foi deixado em um matagal nas proximidades da Babilônia. Na manhã de hoje, a esposa do homem morto reconheceu um dos envolvidos e a Polícia prendeu Tiago Monteiro.

Chamou atenção a frieza do bandido ao falar sobre o crime. Segundo ele, o morador, que era casado e pai de três crianças, foi morto “porque ele disse que ia votar no Bolsonaro”. Perguntado por um policial se tinham feito algo mais, ele respondeu: “degolaram, senhor”.

A Polícia faz diligências na tentativa de localizar os demais envolvidos no crime e já identificou um deles. Trata-se de Márcio da Silva Lima, natural de Quixadá, e que já tem uma extensa ficha criminal.

Deixe uma resposta

+ Sobre