Novos residentes e programação especial marcam comemoração dos 38 anos de fundação do BioParque Vale Amazônia

Vale / Carajás - Foto: Seny Lima

No próximo domingo (5/3), o BioParque Vale Amazônia celebra 38 anos de fundação. O espaço, que está dentro da Floresta Nacional de Carajás, se consolidou ao longo dos anos como um dos principais centros de pesquisa, conservação e educação da biodiversidade do Brasil. No domingo, os visitantes poderão conhecer os novos residentes, um casal de primatas sauim-de-coleira, além de conferir uma programação especial, com exposição e vendas de produtos de projetos desenvolvidos em comunidades, apoiados pela Vale e a doação de mudas de árvores da flora amazônica.

Os dois novos residentes do BioParque, um filhote macho e um adulto fêmea de sauim-de-coleira (Saguinus bicolor), espécie de primata amazônico extremamente ameaçada de extinção foram encaminhados do Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama no Amazonas (CETAS/IBAMA/AM) dentro do programa de reprodução de espécies amazônicas ameaçadas de extinção, coordenado pela Associação de Aquários e Zoológicos do Brasil (AZAB) e ICMBio/CPB. Amendoim e Rebeca, estão em um recinto em formato de ilha, que está cercada de outros recintos ocupados por outras espécies de primatas.

Amendoim (esquerda) e Rebeca (direita) são sauim-de-coleira (Saguinus bicolor), espécie de primata amazônico extremamente ameaçada de extinção | Créditos: Nereston de Camargo

“Esta espécie é classificada como CR, criticamente ameaçada e corre um risco extremamente alto de ser extinta da natureza. O Bioparque, juntamente com outras instituições, assinou acordo para contribuir com a conservação ex situ, ou seja, fora da natureza, dessa espécie. Esperamos que Amendoim, quando for adulto, possa reproduzir. Dessa forma nós atuamos fazendo parte do studbook keeper, que é o livro genealógico dessa espécie”, destaca o biólogo do bioparque, Tarcísio Rodrigues.

Ele informa ainda que “o Bioparque Vale Amazônia se tornou a primeira instituição no sudeste do Pará e a segunda instituição do estado, à contribuir com a conservação dessa espécie no estado, sendo que a primeira é o Centro Nacional de Primatas, que fica no município de Ananindeua, na região metropolitana de Belém”, ressalta Tarcísio.

O BioParque Vale já soma à sua história, nascimentos importantes de espécies ameaçadas de extinção da fauna amazônica, como bugio, queixada e gavião-real ou harpia, que marca o primeiro sucesso reprodutivo dessa espécie de ave em recinto de exposição no Brasil. Nos últimos dez anos, foram registrados os nascimentos de seis filhotes de onça-pintada no espaço. Do plantel de aves, exemplares de ararajuba, ave símbolo da Amazônia, foram encaminhadas ao Parque Ambiental do Utinga, unidade de conservação estadual da Região Metropolitana de Belém, para serem reintroduzidas à natureza.

Programação

Na programação de aniversário do bioparque, os visitantes poderão conferir a experiência virtual “Caminho do minério”, instalada na sala de educação ambiental do Centro de Visitantes do BioParque, que mostra o trajeto que o minério percorre para se tornar matéria-prima de objetos no nosso dia a dia, como celulares, carros e diversos aparelhos eletrônicos. Com o Oculus Quest, 3D e visão em 360º, durante cinco minutos, o visitante vai conhecer e acompanhar os processos da mineração que transformam recursos naturais em desenvolvimento sustentável, com extração, beneficiamento, transporte ferroviário, pelotização, porto até a navegação.

Depois da experiência virtual, o visitante poderá conhecer os produtos do projetos de apicultura, do Cedere I, que produzem mel e derivados; e das Filhas da Terra, da Apa do Igarapé Gelado, como doces e chips, que estarão em exposição e também disponíveis para compra. A cooperativa Preciosas Biojóias também vai expor seus produtos. O visitante poderá conferir ainda apresentação da roda de capoeira do grupo Dandara Bambula e levar para casa mudas de espécies da flora amazônica como lanterneira, açaí, pau preto e ingá de macaco.

Sem fronteiras
O aniversário do BioParque também será comemorado em cidades como Belém, Ananindeua e Marabá com uma campanha, dentro do projeto Viva a Floresta, que vai celebrar ao longo desse ano, os ativos ambientais (parques e reserva) mantidos pela Vale. Neste mês, um vídeo vai mostrar a vida das espécies da fauna e da flora amazônica que habitam nos espaços do bioparque, os movimentos exuberantes da floresta, além das atividades do espaço e a importância de projetos de conservação.

Experiências imersivas, com a floresta e um tour em 360º, por espaços do BioParque Vale Amazônia como Orquidário, Formigueiro e Viveiros de Imersão, também convidarão o público a conhecer as ações do bioparque, que é um ambiente de conservação vivo, em movimento e protegido.

Instalado no coração da Floresta Nacional de Carajás, o bioparque ocupa 30 hectares de área, sendo cerca de 70% de floresta nativa, dividido entre 29 recintos, sendo que mais de 80% deles abertos, em formato de ilha, e um plantel com mais de 360 espécimes.

O espaço, que recebe cerca de 100 mil visitantes por ano, conta também com um centro de visitantes, sala de exposições, orquidário, entre outros, e um viveiro de imersão com mais de 65 pássaros de 22 espécies, vivendo soltos e fazendo sobrevoo entre os visitantes. Outras estruturas como hospital veterinário, setor de reprodução de aves, biotério e sala de nutrição são dedicadas aos cuidados dos espécimes do BioPaque Vale Amazônia.

Receba as notícias do Portal Canaã

Siga nosso perfil no Google News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *