Cobrando reajuste de 20%, servidores do IFPA de Parauapebas declaram greve

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Foto: Portal Canaã
Foto: Portal Canaã

Os servidores do Instituto Federal do Pará – IFPA, em Parauapebas, declaram greve a partir desta quinta-feira (26). A categoria alega que seus salários estão precarizado e cobram reajuste de 19,99%.

Confira a nota do Comando de Greve, abaixo:

“Nós, servidores federais da educação básica, profissional e tecnológica na cidade de Parauapebas estamos iniciando nesta quinta feira, dia 26 de maio de 2022 uma greve juntamente com toda a categoria no Estado do Pará e no Brasil. Nossa meta é chamar a atenção do Governo Federal para a realidade atual dos institutos federais no Brasil que estão sendo cada vez mais precarizados. O servidor federal, tanto nós técnicos da educação, quanto nós servidores estamos exigindo uma recomposição salarial de 19,99%. O valor é referente a inflação dos últimos três anos, entre 2019 e 2021.

Nosso sindicato esteve tentando negociar o fim do congelamento salarial, que já dura quase cinco anos para os técnico-administrativos e quase três anos para os docentes da nossa base. Nesse período, assistimos a gasolina sair de R$ 2,60 para R$ 7,80; o botijão de gás sair de R$ 35,00 para R$ 120,00; e o quilo da carne sair de R$ 18,00 para R$ 50,00 e isso tudo sem nenhum reajuste.

A luta é contínua e a pauta de reivindicações é muito mais ampla do que a recomposição salarial. Temos ainda a luta pela revogação da Emenda Constitucional 95, que provocou o Teto dos Gastos que diminuiu os investimentos em educação, fazendo com que nosso instituto ficasse cada vez mais precário. Hoje não temos mais as bolsas permanências para nossos alunos, visibilizando evasão escolar; faltam equipamentos e material para os laboratórios, não temos quadra para as aulas de educação física, nem sala de artes com material apropriado, falta um refeitório com alimentação para nossos alunos e pessoal especializado para nossas necessidades educacionais como assistente social, psicólogo, mais professores, assistente de alunos, etc.. Também nos opomos a reforma administrativa (PEC 32) que está em pauta no Congresso Federal que desvaloriza o trabalho do servidor público, propõe diminuir as contratações e privatizar aos poucos os serviços de educação que é obrigação do Estado.

Defendemos, assim, uma educação pública de qualidade e é por isso que estamos neste movimento. Venha fazer parte conosco desta luta por melhores condições de trabalho no nosso instituto federal!”.

Comando de greve do IFPA/Parauapebas

  [Atualizada] Acidente Fatal com duas vítimas é registrado em Canaã dos Carajás



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas