Investidores brasileiros podem explorar rejeitos de Serra Pelada

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

A Cooperativa dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp) se reuniu no sábado (19) com representantes da consultoria Brasil Século III (BSIII) e com um grupo de investidores brasileiro. Eles discutiram o desenvolvimento do projeto secundário de Serra Pelada, no Pará, que prevê a exploração do rejeito do garimpo produzido no local, chamado de “montoeira”. Os trabalhos podem começar em duas semanas, se os investidores derem o aval.

“Nós tivemos uma reunião de apresentação com os investidores no sábado e com o empresário da BSIII. Eles vieram conhecer a área e vão avançar com o projeto”, disse Edinaldo Aguiar, presidente da Coomigasp. Segundo ele, o procedimento para iniciar a exploração da montoeira é simples. A cooperativa possui Permissão de Lavra Garimpeira (PLG) e todas as licenças necessárias.

Aguiar disse que a Coomigasp possui uma planta inicial experimental montada para a exploração da montoeira. O objetivo é construir uma planta com capacidade para 2 mil toneladas de material por dia. Os investidores ainda vão avaliar e dar um retorno oficial nos próximos dias.

Os investimentos que precisam ser feitos para colocar o projeto em operação não foram especificados por Aguiar, tendo em vista que ainda são necessárias mais estudos e projetos. Segundo ele, a estimativa é que seja necessário 20% do que foi gasto no processo primário pela canadense Colossus Minerals, que tinha uma joint venture com a Coomigasp, mas abandonou o projeto em 2014.

  Komatsu abre as portas a alunos do Centro Universitário FMU

A mineradora já tinha desembolsado cerca de R$ 600 milhões, conforme dados da apresentação mais recente da Colossus, no fim de 2014, quando o câmbio estava em aproximadamente em R$ 2,45. Dessa forma, segundo cálculos o valor seria de US$ 245 milhões. No câmbio de hoje (21), o total seria de R$ 882 milhões. Logo, os 20% seriam cerca de R$ 176 milhões. “Eu acredito que dentro de duas semanas algo novo pode acontecer na mina secundária”, disse Aguiar. “Ainda é preciso fazer mais estudos, mas o investimento não é muito grande para começar a produção”, declarou.

O presidente da Coomigasp não revelou os nomes dos investidores, apenas disse que eles são um grupo de brasileiros. Todo o procedimento envolvendo BSIII e investidores tem sido feito pela cooperativa em conjunto com a Procuradoria-Geral do Estado do Pará.

“Nós queremos que a Promotoria do Estado nos acompanhe nessa jornada. É um grupo brasileiro, fica mais prático para a Promotoria e para as autoridades terem conhecimento. Nós queremos todo o trabalho acompanhado pelas autoridades”, disse Aguiar.

A Coomigasp tem marcada para o dia 27 de março uma assembleia geral ordinária em que serão apresentadas as contas do ano passado. Em redes sociais, como no Facebook, moradores e garimpeiros de Serra Pelada se mostraram céticos quanto ao avanço do projeto de exploração da montoeira.

  Komatsu abre as portas a alunos do Centro Universitário FMU

BSIII

A BSIII foi contratada pela Coomigasp para viabilizar o projeto secundário de Serra Pelada. O acordo prevê que 44% do valor líquido do ouro, da prata e do paládio extraídos serão destinados aos garimpeiros e 56% à empresa. As despesas com exploração, empregados e outros custos seriam responsabilidades da BSIII. As informações são de uma transcrição de declaração do deputado federal Domingos Dutra (PcdoB-MA) em audiência na Câmara dos Deputados, em julho de 2014.

A consultoria foi procurada para dar mais detalhes sobre o acordo com a Coomigasp, mas não respondeu até a publicação desta reportagem. A BSIII tem como sócio o ex-deputado federal pelo PT de Minas Gerais, Virgílio Guimarães.

A Coomigasp tinha um contrato com um trio de investidores japoneses para explorar a montoeira de Serra Pelada. Akio Miyake, Osamu Sugiyama e Hirosuke Otaki, sócios da Mineração Yamato do Brasil (Miyabras), estiveram no projeto em julho do ano passado e chegaram a assinar um acordo de intenções. O contrato foi terminado pelo não cumprimento de cláusulas pelos japoneses, afirmou Aguiar.

 

 

 

Reportagem: NMB



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas