CredCidadão fecha ano com R$ 18 milhões em investimentos e 6 mil contemplados no Pará

Política estadual de fomento ao pequeno negócio tem contribuído para abrir e ampliar pequenos empreendimentos e aquecer a economia local
Foto por maitree rimthong em Pexels.com

O ano de 2023 deve terminar com mais de seis mil pessoas beneficiadas pela política estadual CredCidadão, de fomento ao pequeno negócio, e cerca de R$ 18 milhões em investimentos feitos diretamente pelo tesouro estadual em geração de renda para microempreendedores de todo o Pará.

O presidente do núcleo de gerenciamento do programa, Braselino Assunção, afirma que, em 2024, os recursos para o pequeno empreendedor poderão alcançar quase o triplo do que foi disponibilizado este ano. “Conseguimos chegar às 12 Regiões de Integração e 51 municípios, queremos atingir todos os 144 até o ano que vem”, destaca o gestor.

O CredCidadão incentiva a geração de trabalho e renda entre os microempreendedores com necessidades financeiras. O programa tem uma metodologia específica, baseada no relacionamento direto, com orientação educativa sobre plano de negócio, gestão do negócio para crescimento e sustentabilidade da atividade econômica e contribuindo para qualidade de vida da família.

CredCidadão no interior
Além da sede do núcleo, em Belém, no bairro da Cremação, é possível obter informações sobre a iniciativa no interior, em polos do CredCidadão nas cidades de Breves, Castanhal, Bragança, Santarém e Marabá – há outros três em instalação nos municípios de Itaituba, Abaetetuba e Altamira.

“O CredCidadão é um núcleo de microcrédito extremamente descomplicado, que só exige o RG, o CPF e o comprovante de residência. Pode ser acessado em duas linhas: uma tradicional, que abrange todas as atividades produtivas possíveis, e outra específica, que é a do Mototaxista Pai D’Égua, recém criada com o objetivo de renovar a frota e melhorar a segurança no trânsito para mototaxistas e usuários, a partir da aquisição de veículos e equipamentos de segurança, como capacete, luvas e coletes”, detalha Braselino.

Dependendo da linha de acesso, os créditos podem variar entre R$ 2 mil e R$ 5 mil, com prazo de 18 meses para pagamento e um juro subsidiado de 0,5% ao mês. “Não existe no sistema financeiro nacional nada parecido com isso. É mesmo um incentivo para dar oportunidade de criar ou melhorar o pequeno negócio, para que as pessoas tenham melhoria de qualidade de vida, autoestima elevada, renda para suprir necessidades próprias e de suas famílias”, reforça o presidente Braselino Assunção.

Segundo Braselino, só para a nova linha voltada aos mototaxistas, que conta com a parceria do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) e ainda da própria Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad), há uma rubrica de R$ 20 milhões em separado, independente dos quase R$ 18 milhões para a linha tradicional.

Com recursos do CredCidadão já foram compradas e entregues 220 motos, e a pedido do governador Helder Barbalho e da vice-governadora Hana Ghassan, os veículos são de baixa emissão de poluentes.

Por meio de parcerias com diversas pastas da administração estadual, o CredCidadão atende ainda categorias como batedores de açaí, o projeto Entre Elas, executado pela Fundação ParáPaz, e ainda oferece incentivos aos que fazem formações ofertadas nas Usinas da Paz pela Secretaria de Articulação Estratégica e Cidadania (Seac), entre outros.

O presidente do núcleo de gerenciamento do CredCidadão detalha os investimentos do programa. “O que a gente quer é atender o máximo possível de atividades, em todas as regiões, em todas as cidades, inclusive mais de uma vez em cada uma. Atendemos até agora 3.153 pessoas só em 2023, o que totaliza R$ 10.150 milhões em recursos, e ainda temos contratado até o fim do ano outros R$ 7.550 milhões para mais 2.967 empreendedores”, afirmou.

“Uma coisa muito interessante é que 62% dos beneficiários são mulheres. Têm casa de farinha, confecções, agricultura familiar, artesanato, venda de cosméticos, apicultura, manicure, pedicure, cabeleireiro, gente que faz churrasquinho, vende picolé, é uma gama intensa de atividades. É um crédito que faz muita diferença na vida das pessoas e na rotina dos municípios”, acrescentou Braselino.

O gestor revela que solicitou à Seplad que em 2024 os recursos para o CredCidadão alcancem os R$ 51 milhões em investimento, pedido que ainda está em avaliação. “O retorno é muito rápido, os negócios que receberam crédito cresceram muito. Tem uma história de uma costureira em Abaetetuba que recebeu R$ 2 mil quando mais precisava. Comprou uma máquina de costura de R$ 590 e com o resto investiu em material. Decidi visitá-la dois meses depois, quando estive de novo na cidade em agenda. Simplesmente a encontrei na sala de casa, junto de uma pessoa que ela contratou para talhar tecidos, outra que ela contratou para fazer a serigrafia de uniformes e escolares e uma quarta para fazer as entregas. Ou seja: R$ 2 mil criaram uma cadeia de produção que gera renda a quatro mulheres solo”, reconheceu.

Os próximos planos de expansão do CredCidadão incluem a criação de linhas voltadas especificamente a mulheres chefes de família junto à Secretaria de Estado de Mulheres (Semu), convênio com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) para atender pessoas reclusas que trabalham com costura e que estejam em processo de ressocialização, e ainda um programa de qualificação para militares da reserva e familiares diretos – esposas, maridos e filhos – visando a abertura de um pequeno negócio. “Queremos que o CredCidadão seja uma política de estado transversal”, finaliza Braselino Assunção.

Receba as notícias do Portal Canaã

Siga nosso perfil no Google News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *