CPI do MST: Éder Mauro cria confusão ao não aceitar minuto de silêncio pelo conflito de Pau D’Arco(PA)

Na última sessão(24) da votação de requerimentos da CPI sobre o Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) ouve diversos ‘bate bocas’ entre parlamentares da oposição e da base governista que defendem o movimento. Um dos atritos que se destaca foi entre o deputado federal pelo PL do Pará, Eder Mauro, e da deputada Federal pelo PSOL do Rio, Talíria Retrone, que em seu momento de defesa pediu um minto de silêncios pelos membro do MST que foram mortos em confronto com a militares no município de Pau D’Arco(PA).

No momento de se dedicar ao minuto de silêncio, o parlamentar do PA pediu questão de ordem e interveio, afirmando que não ficaria calado durante o momento e proferiu diversas palavras, afirmando que os mortos pela polícia eram ‘bandidos’.

Confira o momento abaixo registrado por um dos presentes:

Após o conflito, Éder Mauro, usou a palavra por ser citado em outro discuro:

https://www.youtube.com/watch?v=qrw8E_YNH1c

Relembre o Conflito em Pau D’Arco(PA):

O conflito ocorrido com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Pau D’Arco foi um evento trágico que ocorreu no dia 24 de maio de 2017, no estado do Pará, Brasil. O conflito resultou na morte de dez trabalhadores rurais sem-terra e dois policiais militares.

De acordo com relatos, o conflito ocorreu durante uma ação de desocupação de terras que haviam sido ocupadas pelo MST. A polícia alegou que os sem-terra teriam reagido à ação policial com violência, o que levou ao confronto. No entanto, há controvérsias sobre a versão oficial apresentada pelas autoridades.

Após o confronto, uma investigação foi aberta para apurar as circunstâncias e responsabilidades pelo ocorrido. Em 2018, a Polícia Federal concluiu o inquérito e indiciou dez policiais militares pelos homicídios. Segundo a investigação, os trabalhadores rurais foram executados após terem se rendido. O Ministério Público também denunciou os policiais militares envolvidos no caso.

Esse conflito gerou repercussão nacional e internacional, chamando a atenção para os problemas relacionados à questão agrária no Brasil, especialmente a luta pela reforma agrária e a concentração de terras. O caso de Pau D’Arco levantou discussões sobre a violência no campo e a necessidade de soluções pacíficas para os conflitos agrários.

Receba as notícias do Portal Canaã

Siga nosso perfil no Google News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *