Justiça bloqueia R$ 475 milhões de Vale, Samarco e BHP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

A Justiça de Ponte Nova (MG) determinou o bloqueio de bens da Samarco, Vale e BHP Billiton no valor de R$ 475 milhões para reparação de “danos materiais e morais, individuais e coletivos” às vítimas dos municípios mineiros de Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado, atingidos pelo rompimento da barragem de rejeitos de Fundão, em novembro do ano passado, em Mariana (MG). A Samarco nega que tenha sido citada na ação.

A decisão é do início de fevereiro. No entanto, até esta sexta-feira, 12, não há a confirmação de que os recursos tenham sido bloqueados. A principal dúvida é em relação à decisão tomada pelo desembargador Afrânio Vilela, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), em 26 de janeiro, de que todas as ações de primeira instância relativas à Samarco, dona da barragem de Fundão, fossem transferidas para a Justiça Federal no Estado.

Além de ter devastado o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, a lama que desceu da represa matou 17 pessoas. Duas estão desaparecidas. Antes do bloqueio dos R$ 475 milhões, a Justiça já havia determinado, também a pedido do Ministério Público Estadual, mas em Mariana, o bloqueio de R$ 300 milhões da Samarco em contas bancárias. Parte dos recursos já foi utilizado para pagamento de indenizações. Outros R$ 500 milhões foram depositados pela empresa também para ressarcimento de danos dentro de acordo fechado com a promotoria.



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas