Usina de Belo Monte já vai começar a operar em março

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

O presidente da Norte Energia, consórcio responsável pela construção e operação da usina hidrelétrica de Belo Monte, Duilio Diniz Figueiredo, disse ontem, que o empreendimento começa a gerar eletricidade em março, com pouco mais de um ano de atraso em relação ao cronograma original. As informações são do Portal G1.

“Estamos gerando nas duas usinas, Pimental e Belo Monte, em março”, disse Figueiredo, que participou, em Brasília, da entrega de um sistema de monitoramento via satélite à Fundação Nacional do Índio (Funai). A montagem desse sistema, que vai ser usado para identificar crimes ambientais em terras indígenas, é uma das condições que o consórcio deveria cumprir para receber a licença de operação da usina.

O complexo de Belo Monte conta com duas usinas, ou casas de força: Pimental e Belo Monte. A primeira, segundo o contrato de concessão, deveria começar a gerar energia em 28 de fevereiro de 2015. Ao todo, Pimental terá seis turbinas e capacidade para 233,1 MW (megawatts), cerca de 3% de toda a eletricidade que será gerada pelo complexo em sua capacidade máxima, o que daria para abastecer uma cidade de cerca de 500 mil habitantes.

Depois do primeiro atraso, a Norte Energia chegou a prever para outubro o início da operação de Pimental. Mas o consórcio foi obrigado a adiar de novo o funcionamento da usina porque, em setembro, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) não concedeu a licença de operação, que permite o enchimento dos reservatórios da usina. A licença do Ibama só saiu ao final de novembro do ano passado. Já a usina Belo Monte, que responderá por 97% da eletricidade do empreendimento (11 mil MW), não deve registar atraso – o cronograma já prevê que entre em operação em março.

Na terça-feira, 2, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) voltou a negar pedido da Norte Energia para adiar o prazo para a usina entrar em operação. A agência não aceitou os argumentos da empresa de que não teve responsabilidade pela demora, que chega a 465 dias em Pimental e a 370 dias em Belo Monte. De acordo com o consórcio, esse problema foi resultado de greves de trabalhadores, demora de órgãos públicos na concessão de licenças e de ações judiciais que obrigaram a paralisação da obra.

Devido a uma mudança na lei no final do ano passado, porém, o processo será agora encaminhado ao Ministério de Minas e Energia, que poderá livrar a Norte Energia de culpa pelo atraso e, ainda, estender o contrato de concessão da empresa para garantir que ela recupere, pelo menos em parte, os prejuízos. Duilio diz que confia que poderá convencer o ministério a não penalizar o empreedimento.

 

Fonte: ORM News com fotos de Regina Santos

 



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas