Opinião | Ciro têm 2 problemas pra 2022: Lula e Bolsonaro e seus infiéis defensores

Por mais que Ciro tenha sinalizado a saída da vida de presidenciável em 2018, ainda segue ‘firme o forte’ para mais uma tentativa em 2022. Tentativa no mesmo molde anterior: sem apoio pessoal ao PT no segundo turno, apesar de seus simpatizantes serem progressistas.

O não apoio declarado, é oriundo da negativa de alianças de Ciro com os Lulistas, que não desistem do líder maior, Lula, ainda mais por o terem como elegível, ao contrário de 2018, onde o tinham como condenado e preso. Apesar da grande rejeição de Lula, o mesmo segue com maior potencial de votos e possibilidade de volta ao poder.

Ciro, enfrenta mais problemas que em 2018 um um cenário polarizado e de favoritismo de Lula e Bolsonaro. Dentro da esquerda, a preferência por Lula é maior. E, é onde Ciro tem enfrentado dificuldades, que é na base interna, onde todo apoio de lideranças estão voltados pra Lula e o PT. Além dessa divisão, Ciro tenta se projetar como terceira via, mas sua ideologia e pautas econômicas progressistas também causam rixas e isolamento por outras frentes tidas como liberais que também tentam uma projeção como alternativa, mas com outros nomes.

Com essas dificuldades, Ciro enfrenta o grande problema ‘Lula e Bolsonaro’, do qual chama de Bolsopetismo. Precisa apostar e trabalhar no Impeachment do presidente e ao mesmo tempo na descontração de Lula. Isso para a chegada ao poder. Já para seu eleitorado, se aliar a Lula é um caminho totalmente aberto.

Não conseguindo se projetar como terceira via, que é quase certo, Ciro depende da inexistência de um dos nomes: Bolsonaro, para poder disputar a base esquerdistas e acenar em busca da Direita e, Lula, para poder tomar o protagonismo de toda a esquerda contra Bolsonaro.

Sem as duas possibilidades, resta Ciro apoiar Lula, junto com sua base, algo que já declarou que não irá fazer, e conquistar o grande público indeciso para se fortalecer, que por questões ideológicas, tem grande resistência, que que grande parte indecisa são pregressos do Bolsonarismo’.

Não menos mal, um outro grande adversário de Ciro é sua base de defensores, que em maioria, não apresentam fidelidade a ele e sim a agenda social, que também pode ser encontrada em outro nome da esquerda. No entanto, enxergam como principal adiversário apenas Bolsonaro, deixando-o sozinho na ‘briga’ contra o PT.

Por fim, Ciro tem dois grandes problemas, Lula com Bolsonaro e seus infiéis defensores, que aprenderam com ele, o ofício.

Receba as notícias do Portal Canaã

Siga nosso perfil no Google News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *